Policial Militar de Paulínia é preso por estupro e roubo

0

Isaias Pereira da Silva Junior, 31 anos, foi detido por tentar cometer o crime contra uma adolescente e por ter praticado contra duas jovens na cidade, diz Polícia Civil.

Um policial militar suspeito de estuprar duas jovens e tentar estuprar uma terceira foi preso na madrugada desta sexta-feira (16), em Paulínia (SP). Ele foi detido por volta das 3h, após abordar uma das vítimas, que tem 16 anos, no bairro São José.

De acordo com a Polícia Civil, o soldado Isaias Pereira da Silva Junior, 31, tentou levar a adolescente para dentro de um Ford Fiesta preto, mas ela conseguiu se desvencilhar, sofreu ferimentos leves e acionou a Guarda, que localizou o suspeito. Ele não respeitou ordem de parada, houve perseguição e no caminho, segundo um agente, ele atingiu 180 km/h e tentou bater no carro da Guarda para tirá-lo da pista. No distrito de Betel, ele bateu o veículo em um poste parou após danos nas rodas.

Após a Guarda constatar que se tratava de um policial militar, o comandante da Polícia Militar na cidade, Rafael Cambuí, foi acionado e passou a acompanhar a ocorrência.

Características semelhantes
De acordo com a Polícia Civil, o fato dele sempre agir de folga, encapuzado, com uso da arma oficial, carro escuro e no período noturno facilitou na sua identificação como autor de mais dois estupros. As duas vítima, que têm 18 e 19 anos, foram até a delegacia e o identificaram. Os crimes ocorreram em 17 de dezembro e 9 de fevereiro, em frente ao Parque Brasil 500 e à Praça Monte Alegre.

O suspeito foi indiciado pelos três casos e será encaminhado ao Presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo. O delegado solicitou à Justiça que seja decretada a prisão preventiva do suspeito.

Comportamento exemplar
O capitão da PM, Rafael Cambuí, afirmou que o soldado tinha comportamento exemplar na corporação, era casado e estava lotado em Paulínia há dois anos. Antes, atuou em Campinas (SP).

As investigações terão continuidade, mas por enquanto não há indícios de que outros crimes tenham sido praticados, afirmou o delegado Rodrigo Luis Galazzo.

A Polícia Civil solicita que vítimas de estupros com características parecidas compareçam à delegacia para eventual reconhecimento. Além disso, aguarda resultado de exames biológicos realizados pelo PM para confrontar com as avaliações feitas pelas duas vítimas à época em que houve os estupros.

O comandante da PM mencionou que será aberto um processo interno para verificar as denúncias e, caso comprovadas, o suspeito pode ser expulso da PM.

Foto: Jornal Aqui Paulínia