Empresa com escritório em Paulínia anuncia nova parceria focada no tratamento da obesidade

0

A Boehringer Ingelheim, uma das 20 principais farmacêuticas do mundo, e a Gubra, empresa de biotecnologia dinamarquesa, anunciam um segundo acordo de colaboração e licença para o desenvolvimento de novos peptídeos poli agonistas para o tratamento da obesidade. O projeto reunirá o conhecimento estabelecido da Gubra no desenvolvimento, síntese, caracterização farmacêutica e testes in vivo de peptídeos terapêuticos, com a expertise da Boehringer Ingelheim na pesquisa e desenvolvimento de medicamentos inovadores em doenças cardiometabólicas.

Este segundo programa em conjunto entre a Boehringer Ingelheim e a Gubra baseia-se em uma colaboração bem-sucedida que está em andamento no campo da obesidade, e que foi lançada em 2017, já tendo alcançado marcos importantes. O programa contribui para o crescente portfólio de pesquisa e desenvolvimento da Boehringer Ingelheim no campo da obesidade.

“Estamos ansiosos para expandir nossa colaboração produtiva com a equipe da Gubra”, disse o vice-presidente corporativo sênior de pesquisa e descoberta da Boehringer Ingelheim, Clive R. Wood. “Antecipo que esses programas nos ajudarão a trazer novas opções de tratamento para pacientes com obesidade”, completa.

A Boehringer Ingelheim construiu ao longo dos anos um amplo portfólio de medicamentos para diabetes tipo 2, acidente vascular cerebral, infarto agudo do miocárdio, hipertensão e redução do risco de morte cardiovascular. Com sua vasta experiência e compromisso com a inovação, a empresa visa transformar a vida das pessoas com doenças cardiometabólicas.

“Estamos muito satisfeitos em firmar um segundo contrato de colaboração e licenciamento com a Boehringer Ingelheim, focado no tratamento da obesidade. É importante para a Gubra encontrar parceiros fortes para nossos programas de pesquisa. Nossa primeira colaboração com a Boehringer Ingelheim mostrou que os pontos fortes de ambas as empresas são bem complementares”, declarou o CEO da Gubra, Henrik Blou. “Unir forças neste novo programa de pesquisa tem o potencial de levar o tratamento da obesidade ao próximo nível em benefício de pacientes em todo o mundo “, finalizou o executivo.

A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais farmacêuticas do mundo e possui cerca de 50.000 funcionários globalmente. Atua há mais de 130 anos para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2018, obteve vendas líquidas de cerca de € 17,5 bilhões e os investimentos em pesquisa e desenvolvimento corresponderam a 18% do faturamento líquido (mais de € 3,2 bilhões). No Brasil há mais de 60 anos, a Boehringer Ingelheim possui escritórios em São Paulo e Campinas, e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia. A empresa recebeu, em 2019, pelo terceiro ano consecutivo, a certificação Top Employers, que a elege como uma das melhores empregadoras do mundo por seu diferencial nas iniciativas de recursos humanos.

A Gubra — Fundada em 2008, a Gubra é uma empresa de biotecnologia de capital fechado situada na Dinamarca. Ela fornece aconselhamento cientifico, serviços de pesquisa e projetos em co-desenvolvimento em quatro áreas principais: obesidade, diabetes, esteato-hepatite não alcoólica (NASH) e complicações do diabetes. Os especialistas da Gubra se dedicam a diversas disciplinas pré-clínicas: farmacologia in vivo, química peptídica, farmacologia molecular, histologia, imagem 3D, estereologia, NGS (Nova Geração de Sequenciamento), bioinformática e testes ex vivo. A Gubra tem um modelo de negócios híbrido com uma linha direcionada para alvo antecipado e programas de descoberta de fármacos dirigidos para patenteamento, enquanto também realiza serviços pré-clínicos para clientes combinando tecnologia de ponta com sua experiência e metodologia reconhecida. Gubra é a abreviação para Gut (intestino) e Brain (cérebro), o foco original de pesquisa e expertise da empresa. | www.gubra.dk