Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 62
Log in
A+ A A-

Uberaba pode receber novos reservatórios de água do Codau

Centros de reservação seriam construídos em áreas doadas pela Prefeitura.
Obras visam atender população de bairros recém-construídos.

Novos reservatórios de água do Centro Operacional de Desenvolvimento e Saneamento de Uberaba (Codau) podem ser contruídos nos Bairros Jardim Metrópole e Residencial Alves Vallim. O objetivo das construções é atender a demanda de novos bairros construídos na cidade. Os locais das possíveis obras seriam em terrenos já doados pela Prefeitura e aprovado pela Câmara Municipal. Cada reservatório metálico tem capacidade para 5,5 milhões metros cúbicos e um reservatório elevado com capacidade para 500 mil metros cúbicos de água.

Segundo a assessoria de imprensa do Codau, a Caixa Econômica Federal está analisando o projeto de contrução das CR-12 e CR-13, que pode ter verba liberada ainda até o final de 2013. A verba, assegurada pelo Ministério das Cidades, pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), são de  R$ 3,5 milhões para o CR-12 e R$ 3,7 milhões para o CR-13.

O CR-12 atenderia a população próxima à BR-262, na saída para Campo Florído, no Triângulo Mineiro. Entre os bairros que deverão ser atendidos estão Morumbi, Beija Flor, Morada Du Park, Nova Era, Copacabana, Parque dos Girassóis, Jardim Espanha, Estância dos Ipês, Colibri e Pacaembu. O CR-13, no bairro Jardim Metrópole, atenderia os bairros como Valim de Melo, Gameleira, Loteamento Tiago e Jéssica, Santa Clara, Aroeira, Itália e condomínio Uberaba.

Novas adutoras

Ainda estão previstas obras complementares de novas adutoras para ligar os CRs. O objetivo é sanar os problemas de distribuição de água na cidade. Segundo a assessoria do Codau, a licitação está aberta para construir a adutora diagonal, com extensão de 11 quilômetros de tubulações para interligar a Estação de Tratamento de Água (ETA) ao CR- 6, do bairro Olinda. O valor estimado da obra é de R$ 4,4 milhões e a obra será executada com recursos próprios do Codau. Está prevista também adutora de 1,5 quilômetros para interligar o CR-10, do Gameleira, ao CR-13.

  • Published in Brasil
  • Written by

No Roda Viva, Marina Silva nega candidatura à Presidência em 2014

A ex-senadora Marina Silva, recém-filiada ao PSB, negou em entrevista ao programa "Roda Viva", da "TV Cultura", exibido na noite desta segunda-feira (21), a hipótese de ser candidata à Presidência da República nas eleições de 2014. Segundo Marina, a aliança entre PSB e Rede, simbolizada na sua filiação à sigla socialista, tem como perspectiva a candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

"Quando nós conversamos, naquela oportunidade que tivemos para tratar dessa ideia da aliança programática, não se fez essa discussão sobre vice ou não vice. Partiu-se do princípio que o PSB tem uma candidatura e eu estava dialogando com esse candidato para assumir as propostas que consideramos relevantes para o Brasil", afirmou.

"Quando Eduardo diz --foi ele que disse isso-- que isso será decidido em 2014, é porque ele tinha uma construção anterior que a campanha dele, que a decisão dele, seria em 14. E todos que me perguntavam e talvez muitos que estão nos assistindo são testemunhas é que eu não estava na condição de candidata. Que a Rede, se fosse registrada, a candidatura era ainda uma possibilidade. Não tendo o registro da Rede, essa possibilidade foi subtraída. E o diálogo que estamos fazendo é sim com a candidatura do Eduardo, que ele diz que é em 2014 que vai tomar essa decisão", disse Marina.

Um pouco antes, Marina afirmou que não tem como objetivo de vida presidir o país.

"Não tenho como objetivo ser Presidente da República. O objetivo da minha vida não é ser Presidente da República", afirmou Marina. Em seguida, a ex-senadora disse que seu objetivo na política é trazer ideias para melhorar o país. "Se tiver um presidente com essas ideias, não preciso ter candidatura."

Marina afirmou também que não houve discussão dentro do PSB sobre ela ser vice de Eduardo Campos em 2014.

No começo deste mês, a senadora se filiou ao PSB após não conseguir viabilizar seu partido --o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) rejeitou o registro da Rede por falta de assinaturas.

Agronegócio

A ex-senadora, expoente do ativismo ambiental, moderou o tom ao falar sobre o agronegócio. Questionada sobre se adotou um discurso mais flexível com relação ao setor, Marina afirmou que há setores mais atrasados e outros mais avançados no agronegócio.

"Existem agronegócios, no plural. Evidentemente que uma crítica ao setor mais atrasado do ruralismo brasileiro, não pode ser feita agronegócio, que é fundamental ao desenvolvimento do país", disse Marina, que citou como exemplo do que chama de agronegócio avançado o ex-ministro da Agricultura do governo de Luiz Inácio Lula da Silva Roberto Rodrigues.

Críticas a Dilma

A ex-ministra do Meio Ambiente foi perguntada também sobre as declarações que deu em uma entrevista, na qual afirmou que o governo de Dilma Rousseff é um "retrocesso" ao país. Marina disse que, ao falar em retrocesso, se referiu à agenda ambiental, e não ao governo com um todo.

Questionada sobre se interromperia as obras da hidrelétrica de Belo Monte caso tivesse poder para tal, Marina respondeu que sim, caso a obra não tivesse respeitado as condicionantes necessárias.

Leilão do pré-sal

Marina também comentou o leilão do campo de Libra, realizado hoje. "Eu diria que um leilão onde só comparece uma proposta a gente fica na dúvida se foi um leilão". Ela questionou a participação de estatais chinesas (CNPC e CNOOPC) no consórcio vencedor, formado também pela Petrobras, Shell e Total.

"Vi com preocupação a China fazer parte do leilão, porque nesse caso não é uma empresa, é o Estado", afirmou. Para Marina, a participação de empresas privadas na exploração do pré-sal é bem-vinda.

Casamento gay e criacionismo

Indagada sobre se é a favor ou contrária ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, Marina afirmou que defende a extensão de todos os direitos civis a homossexuais. "Quanto ao casamento, como sacramento, não, como direito civil, sim", afirmou.

Marina negou ser adepta do criacionismo, crença religiosa que é interpretada como uma rejeição à teoria do evolucionismo de Charles Darwin. "Eu não sou criacionista. Isso foi um criacionismo que criaram para mim", brincou. "Acredito que Deus criou todas as coisas, inclusive as contribuições trazidas por Darwin."

Fracasso da Rede

Marina negou que houve falha de planejamento da Rede na coleta de assinaturas e culpou os cartórios eleitorais pela não obtenção do número necessário de rubricas. "Nós conseguimos 910 mil assinaturas. Para chegar a 492 mil [número mínimo exigido], fizemos um processo rigoroso (...) de coleta de assinaturas, de triagem e descartamos 220 mil assinaturas. Mandamos 608 mil assinaturas dentro do prazo, mas infelizmente eles [os cartórios] perderam os prazos"

Para Marina, o alto índice de rejeição nos cartórios de assinaturas obtidas pela Rede se explica pelo fato de que muitos apoiadores do partido são jovens, idosos e eleitores que se abstiveram nas últimas eleições. Nestes casos, não há o assinatura nos livros dos cartórios eleitorais. "Se criou um procedimento que prejudicou a Rede e 95 mil assinaturas foram descartadas sem haver uma justificação."

A ex-senadora afirmou que a Rede está para os protestos de junho como o PT esteve para as mobilizações da década de 80. De acordo com Marina, as manifestações formaram um "novo sujeito político", cujo ativismo "não é dirigido por ONG, líder carismático, partido ou sindicato". "A Rede está para esse período com o PT esteve na década de 80."

  • Published in Brasil
  • Written by

Polícia mostra suspeito de queimar dentista que não tinha dinheiro em SP

A Polícia Civil de São Bernardo do Campo, no ABC, diz já ter imagens de ao menos um suspeito de ter ateado fogo e matado a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos.

Ela morreu queimada após assalto a seu consultório em São Bernardo do Campo, no ABC, na tarde desta quinta-feira (25).

O delegado Roberto Bueno de Menezes, titular do 2° Distrito Policial de São Bernardo, afirma que ao menos um suspeito aparece na imagem do circuito interno da loja de conveniência de um posto de gasolina. Foi neste estabelecimento, segundo a investigação, que o suspeito fez um saque com o cartão da dentista.

“Conseguimos também filmagens do local onde foi sacado o dinheiro. Temos imagens de um dos indivíduos. Encaminhamos a vítima (paciente da dentista), que está viva, para fazer um retrato falado”, disse o delegado.

Crueldade

Para a mãe da vítima, a filha foi vítima de “uma crueldade”. “Fizeram uma crueldade, o que eu espero é Justiça. Mas cadeia é estágio para o crime, eles vão lá e voltam piores, eu não sei o que esperar”, afirmou a mãe, Risoleide Moutinho de Souza.

Segundo a Polícia Militar, um trio invadiu o consultório na Rua Copacabana por volta das 12h30 e anunciou o assalto. Como eles não encontraram dinheiro, a dentista entregou o cartão e a senha.

O delegado seccional Waldomiro Bueno Filho afirma que os ladrões sacaram R$ 30, enquanto um outro continuou no consultório com a dentista e uma paciente. Depois, os criminosos voltaram, atearam fogo na vítima e fugiram em um carro. Um quarto assaltante aguardava os outros em um Audi estacionado perto do consultório.

Testemunha

A polícia já ouviu a paciente que estava no consultório quando os criminosos chegaram. Ela disse, de acordo com o delegado, que um ladrão colocou um capuz em sua cabeça, mas que ouviu a dentista conversando com os criminosos.

Segundo a testemunha, Cinthya disse que não possuía dinheiro em caixa e deu o cartão de crédito e a senha para que eles fossem sacar, mas informou que tinha pouco saldo na conta.

O delegado conta que a paciente relatou ter ouvido a dentista gritar muito, pedindo para que os ladrões “não fizessem isso”.

Waldomiro disse que já tem suspeitos do crime. “Para dar uma satisfação para essa brutalidade, nós vamos identificar esses criminosos o mais rápido possível”, disse. Ele citou que, há cerca de dois anos, uma quadrilha roubava consultórios odontológicos na capital paulista e agia com a mesma crueldade. O delegado disse que cruzará os dados com os desse caso.

Os pais estavam em frente ao consultório na tarde desta quinta e recebiam o apoio dos vizinhos. Viriato Gomes de Souza, pai da vítima, disse que a dentista não namorava nem era casada. Ele acrescentou que a filha não tinha se envolvido em nenhuma briga que justificasse tamanha crueldade.

Vitória Fernandes, que era vizinha e paciente da dentista, mas não estava no consultório no momento do crime, falou sobre a profissional. “Ela era uma pessoa muito boa, muito simples, não cobrava consulta, apenas o tratamento que ia fazer e, dependendo do tratamento, nem cobrava”, contou. A mãe de Cinthya trabalhava com a filha, agendando as consultas.

  • Published in Brasil
  • Written by

Dilma admite imperfeições e até fraude no Minha Casa, Minha Vida

Apesar de dizer ser possível contar nos dedos as moradias rachadas do Minha Casa Minha Vida, principal programa habitacional do governo federal, a presidente Dilma Rousseff admitiu nesta terça-feira (23) que "não há perfeição absoluta".

Afirmou ainda que o programa não está imune a fraudes.

"A arte é estar atento, monitorando e obrigando a refazer. Não aceitando quando entregar errado, fiscalizando. Não há perfeição absoluta em 2 milhões e 400 mil [moradias]. O que é obrigação do poder público? É zelar pela qualidade, ficar em cima. Deu errado e vocês [jornalistas] contribuem quando denunciam", disse a presidente, em entrevista a jornalistas logo depois de visitar uma exposição no Palácio do Planalto.

Sobre as fraudes, a presidente afirmou que "num programa desse tamanho, também podem ocorrer".

"A minha obrigação e a do governo é combatê-la [a fraude], assegurar casa da melhor qualidade possível. Nosso país tem ótimas tradições, mas tem tradições que não são muito boas, herdadas da escravidão... que acha que o povo brasileiro de baixa renda merece qualquer coisa. Eu não fui eleita para entregar casas de qualquer jeito para a população brasileira. Eu acho que o povo merece o que há de melhor."

PISO NOVO

A presidente afirmou que decidiu oferecer três tipos de piso aos beneficiários da primeira fase do Minha Casa, Minha Vida quando foram contratadas 1 milhão de moradas. Agora, o governo se prepara para contratar outras 2,4 milhões até 2014.

Serão ofertados piso de cerâmica, laminado em madeira ou manta vinílica. A ideia foi incluir alternativas mais fáceis de instalação, considerando que a maior parte dos imóveis já foi entregue e está ocupada. Essa solução, segundo a Caixa, atingirá 325.458 unidades do programa.

"Na primeira fase do programa os recursos não eram tão avultados, então o piso ficaria de cimento. Muitas vezes se usa piso de cimento em casas até sofisticadas. Nós estamos optando para fazer três tipos de piso", justificou a presidente.

  • Published in Brasil
  • Written by

Homem é preso suspeito de matar a mulher asfixiada com pênis de borracha em Alagoas

Um italiano foi preso na noite de sábado (20) em Alagoas suspeito de asfixiar e matar a própria esposa com um pênis de borracha.

Fabrizio Carlo Angelo Riccardi contou na polícia que a morte da mulher foi acidental.

Judite Fonseca de França Riccardi foi encontrada pelos policiais militares após denúncia de vizinhos.

A suspeita é que ela tenha sido asfixiada com o pênis, já que peritos do Departamento de Polícia Técnica encontraram um pedaço do vibrador na garganta da vítima.

Segundo a PM, o italiano já havia sido preso depois de agredir a mulher. Ele está preso na Casa de Custória de Alagoas.

  • Published in Brasil
  • Written by

PMs são condenados a 156 anos por por mortes no Carandiru em 1992

Os sete jurados condenaram, na madrugada deste domingo (21), 23 policiais militares pela morte de 13 presos, em 1992, na Casa de Detenção do Carandiru, na Zona Norte de São Paulo. A pena é de 156 anos de prisão para cada, mas eles podem recorrer em liberdade. Três dos 26 réus foram absolvidos. A sentença foi lida pelo juiz José Augusto Nardy Marzagão à 1h15 no Fórum da Barra Funda.

A decisão dos jurados e a sentença ocorrem depois de um longo dia de debates entre defesa e acusação, com uso da réplica e da tréplica. A última fase, antes da votação dos jurados, começou durante a manhã e terminou às 21h25, com a fala da advogada de defesa, Ieda Ribeiro de Souza. Depois, os jurados responderam mais de 1,5 mil perguntas na sala secreta. Foram usadas 290 folhas de questionário para cada jurado.

O júri absolveu Maurício Marchese Rodrigues, Eduardo Espósito e Roberto Alberto da Silva, como havia pedido o Ministério Público. O promotor Fernando Pereira da Silva também pediu que os jurados desconsiderassem duas das 15 vítimas. Segundo ele, esses detentos foram mortos por golpes de arma branca, o que pode significar que foram assassinados pelos próprios presos. Por isso, os 23 PMs foram condenados por 13 mortes.

Os réus condenados são: Ronaldo Ribeiro dos Santos, Aércio Dornelas Santos, Wlandekis Antonio Candido Silva, Antonio Luiz Aparecido Marangoni, Joel Cantilio Dias, Pedro Paulo de Oliveira Marques, Gervásio Pereira dos Santos Filho, Marcos Antonio de Medeiros, Paulo Estevão de Melo, Haroldo Wilson de Mello, Roberto Yoshio Yoshikado, Salvador Sarnelli, Fernando Trindade, Argemiro Cândido, Elder Tarabori, Antonio Mauro Scarpa, Marcelo José de Lira, Roberto do Carmo Filho, Zaqueu Teixeira, Osvaldo Papa, Reinaldo Henrique de Oliveira, Sidnei Serafim dos Anjos e Marcos Ricardo Poloniato.

A advogada de defesa, Ieda Ribeiro de Souza, disse que já entrou com o recurso contra as condenações. "Eu vi com muita frustração. A diferença foi de um voto. Eu não esperava nenhuma condenação", disse ao deixar o fórum. "A condenação não reflete o pensamento da sociedade. Um único jurado definiu o futuro desses homens", lamentou.

O promotor disse que saiu "muito satisfeito". "A Promotoria de Justiça está absolutamente satisfeita. Tivemos a acolhida pelo Tribunal do Júri e a punição aplicada pelo magistrado foi adequada", afirmou. O outro promotor do caso, Marcio Friggi, defendeu a corporação e reforçou a necessidade de punição "a maus policiais".

  • Published in Brasil
  • Written by

Novo tremor de terra é registrado na cidade mineira de Montes Claros

O município de Montes Claros, no norte de Minas Gerais, voltou a registrar um tremor de terra na manhã desta quinta-feira. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o abalo ocorreu por volta das 7h. Até as 9h, não havia informações sobre a magnitude do tremor.

Segundo os bombeiros, não houve feridos. A corporação recebeu o chamado de rachaduras em uma residência, mas instaurou uma vistoria para verificar se tem relação com o abalo.

Somente de janeiro a metade de março, mais de 200 tremores haviam sido registrados no município. No fim do ano passado, houve terremotos de 3.5 e 3.6 na escala Richter, além do mais forte de 4.2 em maio de 2012.

Durante o Seminário Internacional Brasil-Japão para Gestão de Risco e Desastre, japoneses visitaram a cidade de Montes Claros e alertaram os moradores para novos tremores de terra na região. Em parceria firmada entre o governo mineiro e a Universidade de Brasília, foram instalados sismógrafos e foi identificada uma falha geológica na região.

Colaborou com esta notícia o internauta Paulo Henrique Alves, de Montes Claros (MG), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

  • Published in Brasil
  • Written by

PF instaura inquérito para apurar envolvimento de Lula com mensalão

A Polícia Federal instaurou na noite de ontem um inquérito para investigar se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve participação no escândalo do mensalão. A investigação ficará a cargo da delegacia de crimes financeiros.

Na semana passada, a Procuradoria da Republica do Distrito Federal havia determinado a abertura da investigação baseada no depoimento do operador do mensalão, o publicitário Marcos Valério.

A PF fez uma análise da documentação enviada antes de abrir o inquérito, cuja portaria de instauração foi assinada ontem. O prazo inicial da investigação é de 30 dias. Se for necessário mais tempo, a Justiça terá que autorizar a prorrogação.

É a primeira vez que será aberto inquérito criminal para investigar se Lula atuou no mensalão.

No processo principal do escândalo, julgado no ano passado pelo Supremo, Lula não foi investigado. Ele prestou depoimento, por ofício, apenas na condição de testemunha chamada por diferentes réus do processo.

O depoimento de Valério foi dado à Procuradoria-Geral da República em setembro do ano passado, no meio do julgamento do mensalão.

Entre outras acusações, o publicitário afirmou que Lula, o ex-ministro Antonio Palocci e Miguel Horta, então presidente da Portugal Telecom, negociaram repasse de US$ 7 milhões para o PT.

Valério afirmou que o ex-presidente e Palocci reuniram-se com Horta no Palácio do Planalto e combinaram que uma fornecedora da Portugal Telecom em Macau, na China, transferiria o valor combinado para o PT.

O dinheiro seria usado em campanhas petistas e para comprar deputados, segundo Valério.

No pedido enviado à PF, a Procuradoria solicitou "diligências" para averiguar até a exata data do encontro citado por Valério. Não há ainda previsão de quando depoimentos serão tomados, segundo a Folha apurou.

O depoimento foi enviado para a primeira instância já que nenhum dos citados têm foro privilegiado.

A Procuradoria da Republica do DF analisou o depoimento de Valério e, a partir daí, abriu seis procedimentos criminais. Um desses procedimentos foi, agora, transformado em inquérito. Os outros são preliminares e podem ou não ser transformados em investigações policiais.

Condenado a 40 anos de prisão no julgamento do mensalão, Valério fez outras acusações no depoimento, como a de que Lula se beneficiou com recursos do esquema. O petista sempre negou.

Na sexta-feira, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, afirmou que "não há nova informação em relação às publicadas há cinco meses", quando o depoimento de Valério foi remetido à primeira instância. Lula não quis se pronunciar em viagem à Inglaterra esta semana.

Advogado do ex-ministro Palocci, José Roberto Batochio chamou o depoimento de Marcos Valério de "invencionice" e negou a existência do encontro no Planalto.

  • Published in Brasil
  • Written by

Estudante de escola pública terá direito a vestibular gratuito

A presidente Dilma Rousseff sancionou uma lei que garante o direito a isenção do pagamento da taxa de inscrição nos vestibulares de universidades federais e institutos federais de ensino a estudantes que tenham renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio e tenham cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou como bolsista integral em escola da rede privada.

A lei foi publicada nesta quinta-feira (11) no "Diário Oficial da União" (veja ao lado).

A maioria das universidades federais que tem processo seletivo próprio adota sistema de isenção parcial ou total da taxa do vestibular, mas isso não era até então garantido por uma lei específica para este fim.

Segundo o documento, as instituições federais de educação superior adotarão critérios para isenção total e parcial do pagamento de taxas de inscrição nos processos seletivos de ingresso em seus cursos, de acordo com a carência socioeconômica dos candidatos.

Para ter direito ao benefício, o estudante deve cumprir as duas exigências, ou seja, ter feito escola pública ou ser bolsista integral em escola particular e ter renda familiar per capta de até 1,5 salário mínimo.

Boa parte das universidades e institutos federais usam como processo seletivo o Sistema da Seleção Unificada (Sisu), que por sua vez considera o desempenho dos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em 2012, a taxa de inscrição do Enem era de R$ 35. O Ministério da Educação aceitou o pedido de isenção de taxa para quase 4 milhões de inscritos.

  • Published in Brasil
  • Written by

Comissão do Senado aprova projeto que dá direito à desaposentadoria

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou nesta quarta-feira (10) o projeto de lei que dá direito ao trabalhador optar pela desaposentadoria, dispositivo que permite ao aposentado que voltar a trabalhar atualizar o valor da aposentadoria acrescentando ao benefício os anos de contribuição no novo emprego.

O texto foi aprovado em caráter terminativo na comissão, o que significa que não precisará passar pelo plenário do Senado, a não ser que algum parlamentar apresente recurso. Depois do Senado,  a matéria precisa tramitar na Câmara dos Deputados para virar lei.

De acordo com o texto aprovado, ao pedir a desaposentadoria, o trabalhador renuncia à aposentadoria antiga. Quando pedir a nova, o período que passou trabalhando a mais e a contribuição previdenciária no novo emprego serão levados em conta para atualizar o valor da aposentadoria. No projeto aprovado no Senado, ficou determinado ainda que o trabalhador que solicitar a desaposentadoria não vai precisar devolver o que já tinha recebido da aposentadoria anterior.

Para o autor do projeto, senador Paulo Paim (PT-RS), a medida, se realmente for transformada em lei, vai beneficiar 700 mil trabalhadores no país. " São trabalhadores que se aposentam e perdem metade do salário. Ele percebe que não dá para viver e volta a  trabalhar, mais 1 ou 2 anos. Esse tempo, pode usar para pedir revisão", afirmou o senador.

De acordo com o INSS, há cerca de 70 mil ações na Justiça de trabalhadores que pedem a desaposentadoria. 

Desaposentadoria

A desaposentadoria é o ato de renunciar ao atual benefício para obter um novo em condições mais favoráveis. Mas só vale para quem continuou trabalhando ou trabalhou por algum tempo depois de aposentado. Ao fazer as contas anos depois, a pessoa percebe que seu benefício seria melhor se fossem consideradas as condições atuais.

A desaposentadoria hoje não está prevista em lei e portanto não basta pedir revisão administrativa ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Atualmente, a desaposentadoria para um novo benefício só pode ser pedida pela via judicial.

De modo geral, quem pede a desaposentadoria é o segurado que se aposentou mais jovem, com o benefício proporcional. Com as contribuições feitas depois, esse beneficiário passou a ter condições de obter um benefício melhor.

Isso porque a adoção do fator previdenciário, em 1999, reduziu os benefícios de quem se aposenta só por tempo de contribuição, sem atingir a idade mínima de 65 anos para homens e 60 para mulheres.

Pelas regras da Previdência, homens podem se aposentar com benefício integral com 35 anos de contribuição e as mulheres, com 30. No entanto, quem se aposenta mais jovem tem o benefício reduzido por conta do fator previdenciário.

Mas muitos continuaram a trabalhar mesmo depois da aposentadoria e, dessa forma, mantiveram as contribuições ao INSS. Ao atingirem a idade mínima, alguns beneficiários refizeram os cálculos e perceberam que os benefícios podiam ser bem maiores.

  • Published in Brasil
  • Written by
Subscribe to this RSS feed
Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.