Log in
A+ A A-

Ponte Preta fica no zero pela 3ª vez seguida

Pela terceira rodada consecutiva, a Ponte Preta não saiu do zero em jogo pelo Campeonato Brasileiro. Desta vez, no entanto, o empate sem gols foi longe de casa, domingo à tarde, na Ilha do Retiro, em Recife, diante do Sport, pela 20ª rodada. Há quatro jogos sem vitória (3 empates e uma derrota), o time campineiro agora tem 24 pontos e se aproximou ainda mais da zona de rebaixamento. Tem apenas dois pontos a mais que a Chapecoense, primeiro time do Z4 e com um jogo a menos.

Foi um jogo de baixa qualidade técnica. Os dois times atacaram pouco e os goleiros praticamente não tiveram trabalho, principalmente no primeiro tempo. O único lance perigoso da Ponte aconteceu no primeiro minuto. Em rápido contra-ataque pela esquerda, Lucca recebeu de Leo Artur, arrancou, invadiu a área e bateu rasteiro. O goleiro Magrão estava atento para fazer uma bela defesa.

Depois disso, os times ficaram jogando de intermediária a intermediária. Quando alguém arriscou, foi em arremates de longa distância, facilmente defendidos pelos goleiros. Só aos 45, o Sport fez Aranha trabalhar depois que André arrancou pela esquerda e cruzou. Diego Souza se livrou da marcação e rolou para Everton Felipe, que chutou em cima da zaga.

O Sport começou melhor na etapa final. Aos 4', Raul Prata cruzou na área, Luan Peres rebateu mal e André mandou de primeira. Aranha saltou no canto e jogou para escanteio. Aos 16', novamente pelo lado esquerdo da zaga da Ponte, Raul Prata ajeitou e bateu cruzado. Aranha tentou, mas não chegou e a bola passou rente à trave.

O time pernambucano era bem melhor e quase abriu o placar aos 24'. Diego Souza chutou de fora da área e acertou o travessão de Aranha. Antes disso, Everton Felipe já havia criado duas oportunidades pelo lado esquerdo do campo e a defesa da Macaca aliviou.

 

Aos 43’, a Ponte teve sua melhor oportunidade. Lucca, sempre ele, dominou na entrada da área pela direita e bateu cruzado. Magrão desviou e a bola passou muito perto do gol. Aos 44’, Lucca, de novo, mandou chute de longe e Magrão só acompanhou a saída pela linha de fundo.

No minuto seguinte, Aranha se atrapalhou na saída e André pegou a sobra para cabecear com o gol aberto. Rodrigo salvou e evitou o gol do Sport. Aos 48’, Aranha novamente saiu atrapalhado e Diego Souza quase roubou a bola na entrada da grande área.

 

Agora, a Macaca volta suas atenções para o duelo com o Botafogo, domingo, às 16h, no Moisés Lucarelli., Para este confronto, espera poder contar com o volante Elton, o meia Renato Cajá, o atacante Emerson Sheik, além do também volante Fernando Bob e o zagueiro Yago, jogadores que estão em fase final de recuperação de lesões. Será o reencontro com o atacante Roger, ex-Macaca.

Google Play passa avisar sobre comportamento malicioso de aplicativos

Novidade pode não aparecer ainda para todos os usuários.

O Google, nos últimos tempos, passou a investir mais no que diz respeito a segurança de seus usuários em relação aos aplicativos disponíveis na sua loja virtual. O Google Play Protect, por exemplo, que até então estava escondido atrás dos menus que não costumam ser acessados, aos poucos começou a chegar para partes mais acessíveis do Android.

De acordo com o site Android Police, o Play Protect agora aparece também na seção de “Meus apps e jogos”, que pode ser visto ao puxar o menu lateral na Google Play Store. Lá irá constar um aviso de notificação aos usuários caso houver algum problema ou se os seus aparelhos estiverem seguros.

O Google tem como costume distribuir tais mudanças de forma gradual aos usuários, sendo assim, pode ser que a novidade possa não ser encontrada por todos ainda.

O Google possui a intenção de adicionar alertas do Play Protect em três espaços: no menu de segurança nas configurações do Android, no “Meus apps e jogos”, que irá identificar as atualizações dos aplicativos se estão seguras para instalação e ainda na própria página de aplicativos na loja, que irá mostrar se é seguro ou não realizar o download.

Pelo que podemos perceber, o Google está aprimorando o modo de interação das suas ações com os usuários.

A partir da semana que vem, Big Ben ficará em silêncio por quatro anos

O Big Ben deixará de marcar as horas por quatro anos a partir de 21 de agosto próximo para a restauração do famoso relógio e da torre do Parlamento britânico - informou a instituição nesta segunda-feira (14).

"Na segunda 21 de agosto ao meio-dia, as famosas campanadas do Big Ben soarão pela última vez antes do início de grandes obras de reforma", anunciou o Parlamento em um comunicado.

"As campanadas voltarão a marcar as horas no decorrer de 2021", acrescenta o comunicado, sem especificar uma data.

"O silêncio do Big Ben é um marco nesse projeto crucial de manutenção. Como encarregado do grande relógio tenho a honra de garantir que essa peça de engenharia vitoriana está nas melhores condições dia a dia", disse Steve Jaggs, responsável pelo monumento.

"Este programa essencial de obras protegerá o relógio em longo prazo, além de proteger e preservar seu lar, a Torre Elizabeth", acrescentou Jaggs, convidando o público a "se concentrar na Praça do Parlamento para ouvir as últimas campanadas, até seu retorno em 2021".

As obras servirão para restaurar e reparar a esfera do relógio e seu mecanismo, suas campainhas e a estrutura dessa torre de 96 metros construída em 1856.

Também será instalado um elevador, como alternativa aos 334 degraus que levam ao alto da torre.

O nome Big Ben se refere estritamente ao sino do grande relógio, mas é usado, em geral, para dar nome ao conjunto da torre e seu relógio.

O sino pesa 13,7 toneladas e soa a cada hora. É acompanhado de outros quatro sinos a cada 15 minutos.

 

O Big Ben funcionou quase sem interrupções nos últimos 157 anos, salvo em duas pausas de manutenção e renovação em 2007 e em 1983-85.

Ataque terrorista contra restaurante em Burkina Faso deixa 18 mortos

Um ataque executado por supostos extremistas contra um restaurante na capital de Burkina Faso no domingo à noite deixou 18 mortos, informou o governo nesta segunda-feira ao anunciar o fim da operação das forças de segurança contra os criminosos.

O "ataque terrorista" contra o restaurante Istanbul também deixou vários feridos e terminou com dois criminosos morto, informou o ministro da Comunicação, Remis Dandjinou.

O número total de envolvidos no ataque não foi determinado até o momento.

O ministro informou, no entanto, que as operações de "rastreamento e verificação de imóveis adjacentes" prosseguiam nesta segunda-feira.

A troca de tiros chegou ao fim às 5H00 (2H00 de Brasília).

Antes do anúncio sobre o final do ataque, Dandjinou afirmou que várias pessoas eram mantidas como reféns e que algumas haviam sido liberadas, sem revelar detalhes.

O ministro mencionou vítimas "de diferentes nacionalidades".

Ao menos uma pessoa de nacionalidade francesa e outra de nacionalidade turca estão entre os mortos, de acordo com os respectivos governos.

O restaurante Istanbul fica a 200 metros do café Cappucino, que em janeiro de 2016 foi alvo de um violento ataque extremista, reivindicado pela Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) e que deixou 30 mortos e 71 feridos, em sua maioria estrangeiros.

"De acordo com testemunhas, pelo menos dois criminosos chegaram de moto às 21H00, armados com fuzis kalashnikovs, e abriram fogo contra o restaurante Istanbul", declarou à AFP um policial que pediu anonimato.

O presidente de Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré, condenou o atentado na capital do país em uma mensagem no Twitter.

"Condeno com a maior energia o abjeto atentado que cobriu Uagadugu de luto", escreveu.

"A luta contra o terrorismo é um combate muito longo, mas Burkina Faso superará esta adversidade porque seu povo corajoso vai resistir sem concessão ao terrorismo", completou.

- Ação das forças de segurança -

Um garçom do restaurante afirmou que viu quando "três homens desceram de um jipe às 21H30 e abriram fogo contra os clientes" do Istanbul, que é muito frequentado por estrangeiros.

Depois de isolar a área do restaurante, as forças de segurança iniciaram uma operação às 22H15 locais contra os criminosos entrincheirados no restaurante.

Os tiros, intensos no início da ação, se tornaram esporádicos após algumas horas.

Um vídeo publicado no Twitter mostra várias pessoas correndo e gritando pelas ruas. Poucos segundos depois é possível escutar os tiros.

Na manhã desta segunda-feira o perímetro ao redor do restaurante permanecia fechado. Uma unidade especializada da polícia foi enviada ao local para obter mostras para a investigação e iniciar a identificação das vítimas.

Os feridos foram levados para o hospital Yalgado Ouedraogo.

"Estamos lotados", admitiu um cirurgião, que pediu anonimato à AFP.

"Recebemos uma dezena de feridos, três deles morreram. A situação de outros feridos é muito crítica", completou.

O prefeito de Uagadugu, Armand Béouindé, anunciou que o ministro da Segurança, Simon Compaoré, e o ministro da Energia, Alpha Omar Dissa, seguiram para o local do ataque.

Burkina Faso, país que tem fronteira com Mali e Níger, foi cenário de vários ataques jihadistas desde 2015.

O mais violento, em janeiro de 2016, teve como alvos o hotel Splendid e o café Cappuccino, com um balanço de 30 mortos.

Em dezembro do mesmo ano, 12 soldados morreram em uma ação contra um regimento na região norte do país. Dois meses antes, quatro militares e dois civis morreram em um ataque.

O país do oeste da África, pobre e sem acesso ao mar, repetiu diversas vezes a necessidade de trabalhar para "lutar contra o terrorismo" em conjunto com a vizinha Costa do Marfim, também afetada por um atentado jihadista em 2016 que deixou 19 mortos.

Homem mata a ex-mulher na frente do filho

Campinas registrou na tarde de sábado mais um caso de feminicídio. A fiscal de caixa GCSJ, de 27 anos, foi assassinada a tiros pelo ex-marido na frente do filho do casal, de apenas cinco anos. O crime aconteceu na Rua Brígida Chinaglia Costa, no Parque Valença I, por volta das 17h.

Segundo o Boletim de Ocorrência, o atual companheiro da vítima informou que, uma hora antes do crime, o ex-marido, identificado apenas como Joacir, ameaçou a jovem pelo WhatsApp com o recado “Me espere para ver o que acontece”. Segundo o depoimento de vizinhos, Joacir foi até a casa da ex por volta das 16h e não a encontrou. Ele voltou uma hora depois, chamou o filho e disse que iria levar a criança. A vítima se recusou a deixar o menino sair com o pai e os dois passaram a discutir. Foi então que Joacir sacou um revólver e disparou várias vezes contra a vítima. Tudo isso aconteceu na frente de vizinhos.

O atual marido de G. informou que as discussões eram contantes entre a vítima e o ex. As brigas aconteciam porque Joacir apareceu muitas vezes embriagado para buscar o filho nos finais de semana.

O crime está sendo investigado pela Polícia Civil.

Mudança na lei

 

A lei que caracteriza o feminicídio foi sancionada em 2015 e classifica o crime como hediondo. O feminicídio é um crime caracterizado como homicídio praticado contra a mulher por razões relacionadas à sua condição de sexo feminino, decorrente de conflito de gênero. Os crimes geralmente são praticados por homens, principalmente parceiros ou ex-parceiros. Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) traz o dado de que 40% de todos os homicídios de mulheres no mundo são cometidos por um parceiro íntimo. Em contraste, essa proporção é próxima a 6% entre os homens assas sinados. Ou seja, a proporção de mulheres assassinadas por parceiro é 6,6 vezes maior do que a proporção de homens assassinados por parceira.

Suspeito usa banheiro em assalto, esquece de dar descarga e acaba preso identificado pelo DNA

Autoridades disseram que um suspeito de furtar uma casa na Califórnia foi ao banheiro da casa durante o assalto, esqueceu de puxar a descarca, deixou "prova de DNA" no banheiro -e isso acabou provocando sua prisão.

O policial Tim Lohman, do condado de Ventura, disse que o suspeito não puxou a descarga durante o assalto, ocorrido em outubro passado na cidade de Thousand Oaks.

Ele afirma que isso permitiu que os policiais colhessem "provas" para um exame de DNA.

O DNA obtido "casou" com o de um suspeito que estava em um banco de dados nacional, o que permitiu que a polícia encontrasse o suspeito em sua casa, na cidade de Ventura.

 

Andrew David Jensen, de 42 anos, foi preso em 28 de julho. Ele deve comparecer ao tribunal nesta quarta (9).

Motorista de ônibus é flagrado durante uso de celular enquanto dirige em Campinas

Um motorista de ônibus foi flagrado enquanto dirigia por ruas de Campinas  e falava ao celular, na tarde desta quarta-feira (9). O condutor trabalhava na linha 383 (Jardim Planalto/Shopping Iguatemi) quando foi filmado por um passageiro, às 12h, e atrás do banco dele havia um cartaz com mensagem da Emdec sobre riscos no trânsito. Veja vídeo.

Segundo Eliano Gonçalves da Silva, autor da denúncia, o motorista só parou de usar o aparelho ao chegar próximo à Prefeitura, na região central. Não houve incidentes.

O que será feito?

A Cooperativa de Transportes dos Trabalhadores Autônomos e Alternativos (Cotalcamp) informou , que não aprova esse tipo de conduta e vai apurar o caso.

 

Além disso, destacou que vai tomar medidas administrativas e, caso seja a primeira ocorrência do motorista, ele receberá uma advertência. Se houver reincidência, ele pode ser suspenso.

Torcedores da Ponte Preta são presos com bombas caseiras

Torcedores entraram em conflito com policiais militares na noite de quarta-feira (9) na frente do estádio da Ponte Preta após o jogo contra o Fluminense. De acordo com a Polícia Militar, torcedores da Torcida Jovem da Ponte jogaram bombas contra a cavalaria da polícia. Os policiais precisaram dispersar os torcedores e três adolescentes foram apreendidos. Com eles foram encontrados três artefatos explosivos de fabricação caseira.

 

As três bombas caseiras foram feitas com bolas de sinuca e pólvora. Segundo a PM, o grupo combinou a ação antes da partida que aconteceu no Moisés Lucarelli. Ccerca de 30 torcedores saíram do estádio antes da partida terminar. Do lado de fora, eles pegaram as bombas caseiras que estavam escondidas em um carro. O grupo preparava uma emboscada contra a torcida do fluminense. O três menores foram levados para o 1º DP de Campinas. Os pais foram chamados. Ninguém ficou ferido.

Bulldog francesa Filomena é resgatada após 59 dias

Uma veterinária de 28 anos e a mãe dela, uma dona de casa de 53 anos, foram chamadas por policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Campinas, na tarde de quarta, para reconhecer os criminosos que há 59 dias fizeram elas e mais duas pessoas reféns durante assalto. No entanto, o que elas não esperavam é que atrás de um vidro de reconhecimento estava Filomena, ou carinhosamente Filó, uma bulldog francesa de oito meses que foi levada por um dos ladrões.

A alegria das vítimas ao reencontrar o animal de estimação emocionou toda a equipe de investigação. “Não tínhamos avisado a família sobre o encontro da cadela. Foi muita emoção na delegacia”, disse o delegado titular da DIG, José Carlos Fernandes. “Ainda não acredito, mas graças a Deus e ao pessoal da DIG conseguimos achar minha filha. Ela é muito especial para minha família”, disse a veterinária Carolina Vieira Nogueira.

A família mora em um sítio em Cosmópolis e foi rendida por três bandidos, sendo um deles encapuzado, na manhã do dia 13 de junho. Na época, estavam no imóvel a veterinária, o marido, a mãe dela e o caseiro. Os criminosos ficaram cerca de 40 minutos na casa e pegaram diversos objetos de valor, além do carro de Carolina.

Na fuga, um dos bandidos que estava sem capuz decidiu pegar a cachorrinha que estava dentro da casa com o irmãozinho Joaquim e a mãe Amora – esta de dois anos. “Ele disse que a filha dele queria uma cachorra igual a Filó e que a levaria”, contou a veterinária.

Além dos três bulldogs franceses, cujo filhotes são avaliados em cerca de R$ 5 mil, Carolina ainda tem 17 cachorros que vivem no quintal. O amor pela família de bulldogs se deve ao fato que são criados dentro de casa e Filó e Joaquim nasceram com a ajuda da veterinária.

A dupla tinha mais cinco irmãos que foram vendidos. “São como filhos. Eles são muito especiais e dormem no quarto de minha mãe. A Filó era meu bem mais precioso levado pelos bandidos”, contou a jovem. Após o roubo da cadela, Carolina chegou a pedir oração na igreja e ficou dias sem dormir, pensando no animal.

“O delegado me ligou avisando que tinham detido um homem e uma mocinha e que era para reconhecermos. Mas eu disse para ele que não tinha mocinha, mas que de qualquer forma iria na delegacia. Quando a moça trouxe a Filó, quase desmaiei. Só não infartei porque sou jovem e não tenho problemas cardíacos”, disse Carolina.

Celular rastreado

 

A DIG de Campinas tomou conhecimento do crime e passou a investigar o caso. Com base em algumas informações, segundo Fernandes, foi rastreado um dos celulares roubados até chegar ao local onde estavam os objetos e o carro da veterinária, na última sexta-feira. Após isso, os policiais descobriram que a cachorrinha estava em uma casa no Parque Oziel. Fernandes conseguiu mandados de busca e apreensão e na quarta pela manhã os policiais foram ao imóvel. O homem foi reconhecido pelas vítimas. Ele era foragido por um crime cometido em São João da Boa Vista. Segundo Fernandes, outros dois homens já foram identificados pela polícia.

Bebê de 4 meses morre no 1º dia de aula em creche particular de Campinas

Um bebê de 4 meses morreu no primeiro dia de aula em uma creche particular de Campinas  nesta terça-feira (8). A menina passava pelo período de adaptação, que duraria duas horas. A família registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil nesta quarta-feira (9).

A polícia solicitou um laudo do Instituto Médico-Legal (IML) para verificar a causa da morte de Emanuelle Calheiros Maciel. O boletim foi registrado como "morte suspeita" e o caso será encaminhado para o 1º Distrito Policial de Campinas. De acordo com a Prefeitura, a escola não possui alvará de funcionamento.

"Não tinham carro, não tinham nada. A impressão que eu tenho é que quem estava ali não tinha a menor noção do que estava fazendo. Em menos de uma hora deixaram a criança morrer", conta Devair Marques Maciel, tio da criança.

A direção da Escola Casinha do Saber disse ao G1 que nunca ocorreu um caso como este na creche e que a unidade estava fechada nesta quarta. Somente poucos alunos foram recebidos porque os pais não tinham com quem deixar os filhos, informou a direção.

A advogada da escola, Juliana Beatriz de Souza Pereira, disse ao G1 que vai aguardar o laudo do IML para se posicionar a respeito do que aconteceu. Ela informou que não fez contato com a família da menina, mas disse que a escola está à disposição dos familiares e da polícia para esclarecimentos. Juliana confirmou que as funcionárias fizeram procedimentos para tentar reanimar Emanuelle.

'Sono profundo'

Segundo o tio da menina, a mãe deixou Emanuelle às 13h na creche para seu primeiro dia no local. A escola fica no Centro da cidade. Foi combinado que a mãe voltaria às 15h para buscá-la. Às 14h, a escola enviou uma mensagem para a mãe informando que a criança passava bem.

"Tia está fazendo ela dormir. Está bem, mamãe", diz a mensagem enviada para o telefone celular da mãe, acompanhada de uma foto. Na imagem, uma das funcionárias segura a criança no espaço onde ficam os berços da creche.

Quando a mãe, que trabalha próximo à escola, retornou para buscar a filha às 15h, a criança já estava roxa, segundo Devair.

"Disseram pra ela: 'Mãe, ela está dormindo num sono muito profundo. É assim mesmo?' A mãe correu pra ver e a criança estava roxa. O corpo estava quente ainda. Ficaram mais ou menos 10 minutos depois disso e não conseguiram fazer nada. Ficaram perdidos balançando a criança", conta o tio.

A pé para o hospital

Segundo ele, a escola não conseguiu chamar uma ambulância e a mãe e a bebê, acompanhadas de uma funcionária da escola, foram a pé para o hospital mais próximo, a Casa de Saúde, que fica a duas quadras da creche.

"Chegou no hospital, os médicos tentaram de tudo, mas já estava em óbito. [...] A escola não fez nada, não ajudou em nada, não se colocou à disposição pra nada. Só pediram pra gente: 'me preocupo em sujar o nome da escola'" conta Devair.

Devair disse ainda que a escola só informou à mãe que a menina não tinha tomado mamadeira. A bebê deveria usar, segundo o tio, um travesseiro antirrefluxo, que não estava no berço quando a mãe chegou.

"A menina não tinha problemas de saúde. Eu sou da [área de] saúde e comprei pra ela o travesseiro antirrefluxo. A mãe levou e entregou na mão deles e não colocaram. O dono da escola não soube dizer por quê", diz Devair.

O corpo de Emanuelle passou por autópsia na manhã desta quarta no IML de Campinas. Segundo a família, o corpo deverá ser liberado à tarde e o sepultamento será nesta quinta-feira (10) no Cemitério Municipal João Rodrigues, em Paulínia.

Sem alvará

A Prefeitura de Campinas, por meio da Secretaria de Urbanismo, informou em nota que a Escola Casinha do Saber não possui alvará para funcionar.

"A Pasta vai encaminhar um fiscal ainda hoje (quarta-feira, 9 de agosto) para averiguar a situação e tomar as medidas necessárias", diz a nota.

A advogada da Escola Cantinho do Saber ainda não se posicionou sobre a falta de alvará na instituição.

A administração municipal ressalta que toda escola infantil particular precisa ter: Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiro (AVCB), Alvará de Uso expedido pela Secretaria de Urbanismo e Firma Aberta.

 

"A partir disso, o responsável pela unidade entra com o pedido de autorização e credenciamento junto a Secretaria de Educação. São solicitados o projeto pedagógico da escola, regimento interno e ainda há uma vistoria de engenheiros, da própria Educação, para vistoriar as instalações da unidade escolar. Após este trâmite, o estabelecimento recebe autorização de credenciamento e funcionamento", informa a Prefeitura.

Subscribe to this RSS feed
Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.