Bebê de 6 meses entubado à espera de UTI morre em PS do Hospital Mário Gatti

0

Um bebê de seis meses, que estava entre as crianças entubadas dentro do Pronto Socorro do Hospital Municipal Doutor Mário Gatti, em Campinas (SP), morreu neste domingo (5). No sábado (4), um vídeo enviado à EPTV, afiliada mostrava ele e outros bebês em leitos do PS à espera de uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A vítima apresentava graves complicações respiratórias, segundo a Prefeitura.

A administração municipal informou, em nota oficial, que as equipes de saúde fizeram todos os esforços para evitar a morte do bebê e têm feito o possível para atender todas as pessoas que buscam os serviços de saúde. As outras crianças continuam na unidade e ainda não foram transferidas.

“A Secretaria Municipal de Saúde está monitorando a ocupação dos leitos de urgência e emergência na cidade e fazendo todos os esforços para transferir as crianças hospitalizadas para leitos de UTI pediátrica, com indicação para essa conduta”, diz o texto da nota.

No sábado, o secretário de Saúde de Campinas, Cármino de Souza, havia informado que os pacientes seriam transferidos em breve e “estavam sendo cuidados”.

Crise
A morte do bebê acontece em meio a uma superlotação em unidades de saúde da cidade. Na sexta-feira (3), a Secretaria de Saúde de Campinas solicitou ao estado que deixe de transferir pacientes de outras cidades pelas próximas 48 horas.

A medida foi tomada após o Hospital PUC-Campinas, por superlotação, suspender o atendimento via Sistema Único de Saúde (SUS) nos PSs adulto e infantil na sexta-feira (3).

A prefeitura informou ainda que o Hospital Municipal Dr. Mário Gatti “está priorizando os atendimentos de urgência e emergência em detrimento dos atendimentos eletivos” e que “acionou a rede privada para viabilizar a compra de leitos extras.”

O pedido de veto na transferência de pacientes foi feito à CROSS (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde) nesta sexta-feira e, de acordo com a administração, a medida seria reavaliada após o prazo de 48 horas.

Em nota, a pasta disse que está apoiando o Hospital PUC-Campinas “no trabalho de transferir pacientes para outras unidades de atendimento do município de forma que a instituição normalize o atendimento o mais rápido possível”.

Segundo a administração do Hospital PUC-Campinas, na sexta havia 65 pacientes para os 20 leitos SUS disponível no PS adulto, e 7 crianças para 6 leitos instalados no PS Infantil. Neste domingo, o número diminuiu, mas a unidade não informou a quantidade exata.

Ao confirmar a suspensão do atendimento do PS, a direção do hospital classificou a situação com “insustentável para a garantia de atendimento dos pacientes nos corredores”.