Compra de remédios e Lei de Responsabilidade Fiscal são destaques em reunião com o prefeito

0

O prefeito de Paulínia, Antonio Miguel Ferrari, o Loira, realizou uma reunião com seu secretariado e sete vereadores de sua base, na tarde desta segunda-feira (18). Entre os temas debatidos estavam melhorias para a saúde, segurança, mobilidade urbana, a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), a realização de eventos esportivos, como o campeonato de futsal, locais para aulas de dança e atividades culturais, reformas em prédios públicos, reabertura do Parque Ecológico Armando Muller e benefícios para servidores públicos.

De acordo com Loira, a reunião serviu também aproximar ainda mais a sua equipe com os parlamentares. “O que estamos vendo aqui, toda essa união e comprometimento, é fundamental para a nossa cidade voltar a crescer e avançar”, afirmou.

Os secretários relataram como encontraram suas pastas quando assumiram os cargos e apresentaram um balanço dos trabalhos desenvolvidos. Por exemplo, o titular da Saúde Luís Carlos Casarin, contou que encontrou o setor “desorganizado, desabastecido e com muitos processos parados”. “Quando assumi havia três mesas lotadas de processos parados. Fizemos tudo andar e a população já está percebendo algumas melhorias”, disse.

O Presidente da Câmara de Paulínia, Zé Coco, disse que a Câmara está à disposição para votar projetos enviados por Loira e que “vê com bons olhos” a relação de proximidade com o Executivo. “A participação da Câmara no governo é grande e a cidade só ganha com isso. A união dará bons frutos”, relatou.

Destaque

Um dos temas que teve grande destaque na reunião foi a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), que permite que os gastos com a folha de pagamento dos servidores públicos atinjam até 54%, o limite máximo autorizado pela legislação, do total de arrecadação. Por conta do PCCV (Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos), aprovado em janeiro de 2018, o valor gasto hoje está na casa dos 57% do total arrecadado. Loira relatou que tem dialogado com servidores públicos, vereadores e sindicalistas para que uma solução em conjunto seja encontrada. O limite prudencial de gastos com o funcionalismo é de 51,3% da arrecadação. A partir desse limite, o gestor deve tomar medidas para enxugar a folha.

“Os servidores públicos fazem um ótimo trabalho e temos que governar de acordo com lei”, afirmou o prefeito Loira. Também participaram da reunião os vereadores Zé Coco, Luiz da Farmácia, Flávio Xavier, Marcelo D2, Xandinho Ferrari, Tiguila Paes e José Soares.