Júri popular condena 2 torcedores da Ponte Preta a 19 anos de prisão por morte de rival em 2012

0

Após cerca de 12 horas de júri popular no Fórum de Campinas, os torcedores da Ponte Preta Carlos Daniel Sampaio e Bruno Barros Batista Rodrigues foram condenados a 19 anos de prisão pela morte do torcedor do Guarani Anderson Ferreira.

O crime ocorreu em março de 2012 e a defesa dos réus adiantou que eles vão recorrer da sentença dada na madrugada desta quarta-feira (13). O júri foi formado por sete pessoas e seis testemunhas de defesa e acusação foram ouvidas.

“Nós queríamos desqualificar o crime de homicídio para lesão corporal seguida da morte. Eles brigaram para bater nas pessoas”, disse o advogado dos réus, José Tavares.
Anderson Ferreira, que tinha 28 anos, morreu após ser agredido com pedras e barras de ferro depois de uma rodada dupla de jogos das categorias de base das duas principais equipes de Campinas.

Em 2018, outros cinco torcedores da Ponte Preta também foram condenados a 19 anos de detenção pelo mesmo crime.

Quatro deles estavam esperando recursos em liberdade após a sentença, mas o Tribunal de Justiça acatou um pedido da Promotoria Pública e foram expedidos mandados de prisão, que ainda não foram cumpridos. Os réus são considerados foragidos.

Minutos depois da sentença expedida, fogos de artifício foram ouvidos na rua ao lado do Fórum, na região central da cidade. “É um alento para a família”, disse o irmão da vítima Thiago Ferreira.