Menino quase morre após ter pescoço cortado com cerol em Valinhos

0

Um menino de 11 anos quase morreu quando uma pipa com linha cortante, do tipo chilena, passou na altura de seu pescoço, fazendo um corte de quase 10 centímetros. O caso ocorreu na segunda-feira (23), em um condomínio fechado de Valinhos.

O menino, Miguel Mendes Peixoto, levou 12 pontos no pescoço para fechar o corte. Ele estava andando de bicicleta na rua onde mora quando sentiu a linha cortando o pescoço. “Eu coloquei a mão no pescoço e vi o sangue. E vai demorar um pouco para cicatrizar ainda porque cortou por dentro também”, disse.

A mãe, Gisele Mendes Peixoto, disse que agiu rápido e deu o socorro para o filho assim que ele chegou em casa. “Deus me deu estrutura para agir rápido”, disse ela. Depois de correr para o hospital, os pais voltaram para analisar o que havia acontecido e viram a pipa e a linha. A pipa já tinha sido cortada e a linha foi se enroscando entre casas e árvores do condomínio.

Apesar de guardar a pipa e a linha em casa, a família ainda não descobriu quem é o dono dela. Soltar pipa não é crime, mas usar cerol na linha, é. A PM (Polícia Militar) informa que o uso do cerol é considerado crime penal capitulado nos artigos 129, 132 e 278 do Código Penal Brasileiro, além do artigo 37 da Lei das Contravenções Penais.

Se a pipa que provoca o acidente é de uma criança, os pais são responsabilizados. Se for de um adolescente ele responde por ato infracional e pode inclusive cumprir medida socioeducativa na Fundação Casa. Agora, se a pipa for de um adulto, o responsável pode responder por lesão corporal ou homicídio, dependendo da gravidade do ferimento.