Segundona – Bugre segura o XV na base da falta e agora decide em casa

0

XV poderia ter saído com a vitoria mas foi prejudicado pelo excesso de faltas da equipe de Campinas que só conseguiu segurar o placar pelas faltas cometidas

Nada de gols na briga pelo acesso entre XV de Piracicaba e Guarani na semifinal do Campeonato Paulista da Série A2. O time piracicabano buscou mais o ataque, mas esbarrou na forte marcação dos campineiros e não saiu de empate sem gols em casa, na noite deste sábado (31), no estádio Barão da Serra Negra.

Com este resultado, o Bugre terá a chance de decidir o acesso em casa. Os dois times voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, às 20h30, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Quem vencer sobe ao Paulistão de 2019. Em caso de empate, a disputa irá aos pênaltis. O vencedor do duelo encara quem ganhar entre Oeste e São Bernardo na final.

Apesar da postura defensiva, o Guarani conseguiu administrar o jogo da maneira que planejava. Segurou o ímpeto e a pressão do adversário, não sofreu gols e poderá ter a vantagem de atuar diante da torcida em casa. Ao XV, resta repetir o feito da primeira fase, quando bateu o rival, por 1 a 0, dentro do Brinco.

TENSÃO TOTAL
Como já era esperado, o XV de Piracicaba tomou iniciativa da partida. Apoiado por sua torcida, assumiu o controle do jogo e tentou pressionar no começo. Aos 11 minutos, o time da casa quase marcou. O atacante Bruninho escapou pela direita, fintou o goleiro Bruno Brígido e bateu cruzado. O lateral Lenon, porém, estava atento e salvou quase em cima da linha.

O Guarani demorou a encontrar-se em campo. Sobretudo, porque seu principal jogador, o meia Bruno Nazário recebeu uma forte marcação. A primeira boa chance bugrina aconteceu somente aos 27 minutos. O meia Rondinelly cobrou escanteio e o zagueiro Fernando Lombardi cabeceou para grande defesa do goleiro Samuel, que mandou para fora.

Conforme o Nhô Quim diminuiu a pressão e a intensidade, o Bugre passou a atuar com mais tranquilidade. O problema é que os campineiros não souberam aproveitar a oportunidade. Se tivesse mais ousadia, o time alviverde poderia explorar alguns espaços entre a defesa e o meio-campo alvinegros.

Apesar de bastante movimentado, o primeiro tempo foi marcado por poucas chances claras de gol. O destaque nos minutos finais ficou por conta do duelo vindo das arquibancadas. As torcidas de ambos os times cantaram bastante e deram uma boa trilha sonora ao tradicional confronto do interior.

XV EM CIMA
A segunda etapa começou da mesma forma que a primeira. O XV voltou melhor dos vestiários, tentando acuar o Guarani. A postura mais agressiva dos visitantes, que deram algumas entradas duras. Tanto que os zagueiros Fernando Lombardi e Philipe Maia foram amarelados antes dos dez minutos.

Mesmo com o Nhô Quim mais ousado, a partida continuou com poucas chances claras de gol. A primeira delas foi surpreendentemente para o Bugre, aos 20 minutos. Erik fez jogada individual pela esquerda, girou sobre o marcador e bateu para grande defesa de Samuel. No rebote, a defesa afastou.