Cão de família vítima se ‘recusa’ a deixar escombros de desabamento na Bahia

0

Bombeiros tentaram tirar o animal, mas não conseguiram. Tragédia ocorreu nesta terça-feira (12), em Salvador.

Um cachorro que pertence à família vítima de desabamento nesta terça-feira (13), em Salvador, sobreviveu sob os escombros, segundo informações do Corpo de Bombeiros.

O imóvel que desabou fica na Rua Alto de São João, no bairro de Pituaçu. Na tragédia, sete pessoas da mesma família estavam no imóvel e quatro delas morreram.

Conforme vizinhos, “Nino”, como é chamado o animal, chegou a sair sozinho dos escombros, mas se assustou e voltou a se abrigar no que restou da casa onde morava com as vítimas da tragédia. Em uma das tentativas de retirá-lo, os bombeiros usaram uma rede para ele entrar, mas o cachorro se manteve no local.

“Ele vive aí com a família há uns oito anos. É bem caseiro e tava dentro da casa quando tudo aconteceu. Podemos dizer que foi um dos sobreviventes da família. O cachorro é o xodó da família. Os meninos gostavam muito dele”, disse Jonas Lima, cunhado das vítimas.

Em outra tentativa, vizinhos chamaram o cachorro e deram um pedaço de carne. “Nino” saiu dos escombros rapidamente, pegou o alimento e voltou para o local, sem que as pessoas que estavam tentando retirá-lo conseguissem pegar ele.

Após as tentativas, a equipe do Corpo de Bombeiros informou que optou por deixar que animal saia sozinho dos escombros.

Tragédia

Morreram no desabamento Rosemeire Pereira de Jesus, de 34 anos; Robert de Jesus, de 12 anos; Artur de Jesus, 1 ano e Alan Pereira de Jesus, 31 anos. Eles estavam no andar de baixo, assim como o cãozinho que sobreviveu. O animal estava perto da escada que dava acesso aos andares de cima, onde Rosemeire foi achada abraçada com o filho, Artur.

A tragédia aconteceu por volta das 6h desta terça-feira, no bairro de Pituaçu. O prédio, que tinha quatro pavimentos, fica na Rua Alto de São João.

O desabamento aconteceu durante uma forte chuva que atingiu a capital baiana. Em cerca de três horas, três bairros de Salvador registraram um índice de precipitação 70% do esperado para todo o mês de março.

O imóvel que desabou não fica em área de risco — mas há a suspeita de que a construção estava irregular, segunda informações de Sosthenes Macêdo, diretor geral da Defesa Civil de Salvador.

O primeiro corpo resgatado foi o de Robert, de 12 anos, por volta das 7h30. Por volta das 11h20, foi resgatado o corpo de Alan. Ao meio dia, o corpo de Artur, de 1 ano, foi retirado dos escombros. Já o de Rosemeire, foi removido do local da tragédia por volta das 12h50.

O corpo de Alan foi reconhecido pela pela mãe dele, Iara Maria Silva de Jesus, 55 anos, no carro do DPT, ainda na região da tragédia. “Uma dor que não consigo descrever”, disse Iara.

Quatro ambulâncias do Samu, unidades do Corpo de Bombeiros e um helicóptero do Graer atuaram no local do resgate. Os trabalhos foram concluídos por volta das 15h30.