Log in
A+ A A-

Redação

Bomba é jogada no palco em show de Zé Neto e Cristiano

Na última quarta-feira (14), Zé Neto e Cristiano levaram um susto daqueles em um show. Durante apresentação em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, um integrante da plateia jogou uma bomba no palco da dupla.

Segundo o “G1”, os sertanejos, que estavam dançando na hora da explosão, se assustaram muito com o barulho.

"Nós vamos embora se continuar desse jeito. Isso aqui machuca para c****o. Vamos ter respeito pelas pessoas”, disparou Cristiano.

E continuou: "Estou aqui trabalhando com todo o respeito à população de Três Lagoas e vem um otário fazer graça aqui? Fica na sua casa, onde você deveria estar sozinho".

Zé Neto também desaprovou a ação perigosa. “Se você for homem você vai vir aqui atrás convensar com a gente. Vem aqui em cima do palco".

 

De acordo com os organizadores do show, o suposto autor do ataque não foi localizado. Além disso, eles deixaram claro suspeitar que o estrondo veio, na verdade, dos próprios equipamentos da banda.

Cadáver de animal gigantesco morto assusta moradores de ilha na Indonésia

Moradores da Indonésia se assustaram ao, na última semana, se depararem com um gigante e estranho animal. Medindo mais de 15 metros, ele foi encontrado nas remotas águas da ilha Ceram.

Um grupo de trabalhadores, ao avistar a criatura, acreditou se tratar de destroços de um naufrágio e, por isso, acionou as autoridades. Ao chegarem lá, os oficiais se depararam com o animal enorme já morto.

A “descoberta” do animal fez com que a remota Ceram se tornasse ponto turístico de curiosos. Aos poucos, centenas de pessoas se aglomeraram enquanto esperavam ansiosas por uma resposta de especialistas que analisavam o animal.

 

Após alguma pesquisa, perícias oficiais apontaram que o animal era bem conhecido: uma lula. A diferença era seu tamanho, já que o molusco era enorme. Agora, as pesquisas girarão em torno do animal tentando descobrir se ele é apenas uma aberração ou se existem mais lulas gigantes.

  • Published in Mundo

Inquérito da PF sobre Temer conclui que houve corrupção

Relatório preliminar da Polícia Federal referente à investigação sobre o presidente Michel Temer e seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures concluiu que houve a prática de corrupção passiva, segundo a reportagem apurou.

As informações foram entregues ao Supremo Tribunal Federal nesta segunda-feira (19) e ainda não foram divulgadas pelo tribunal.

Não está claro ainda qual o papel que a polícia atribui a cada um dos investigados.

Segundo a reportagem apurou, o documento é "conclusivo" sobre o crime cometido.

A PF pediu mais cinco dias ao ministro Edson Fachin para finalizar as investigações e apresentar o laudo da perícia das gravações de conversas feitas por Joesley Batista, dono da JBS. A polícia aguarda esse resultado para concluir se houve também a prática de obstrução de Justiça.

Procurada pela reportagem, a PF não se manifestou sobre o assunto. As assessorias de Temer e Loures não comentaram o relatório até as 21h desta segunda (19).

Ao todo, os peritos analisam quatro áudios, um deles de um diálogo do empresário com Temer, no Palácio do Jaburu, em 7 de março.

No pedido de abertura de inquérito, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou, com base na gravação, que o presidente deu anuência para a compra de silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha e seu operador Lúcio Funaro, ambos presos.

A gravação, porém, não havia passado por perícia da PF, que agora identificou trechos que antes estavam inaudíveis, segundo a reportagem apurou.

Após a conclusão do inquérito, caberá ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidir se denuncia ou não Temer e Loures ao STF. A expectativa é que ambos sejam alvo de denúncia da PGR até a semana que vem.

Na avaliação dos investigações, a corrupção passiva está ligada à mala de propina de R$ 500 mil entregue a Loures pela JBS. Para concluir que houve a prática de corrupção passiva no episódio, a PF se baseou em dois laudos periciais sobre conversas entre o ex-assessor e Ricardo Saud, lobista da J&F.

O prazo dado por Fachin para o inquérito ser finalizado se encerrou neste domingo (18) -sendo esta segunda o primeiro dia útil, quando a conclusão deveria ser entregue.

O ministro é o relator da Lava Jato no Supremo, responsável também por casos ligados à delação da JBS.

EX-DEPUTADO REAGE

Em nota nesta segunda, Cunha confrontou Joesley e afirmou que se reuniu com o dono da JBS e com o ex-presidente Lula, em março de 2016, para discutir o impeachment de Dilma Rousseff.

O ex-deputado acusou Joesley de mentir sobre sua relação com Lula em entrevista à revista "Época".

"Ele [Joesley] fala que só encontrou o ex-presidente Lula por duas vezes, em 2006 e 2013. Mentira! Ele apenas se esqueceu que promoveu um encontro que durou horas, no dia 26 de março de 2016, Sábado de Aleluia, na sua residência [...] entre eu, ele e Lula, a pedido de Lula, a fim de discutir o processo de impeachment", escreveu Cunha.

Segundo o ex-deputado, o encontro pode ser comprovado pelos seguranças da presidência da Câmara, além de registros do carro alugado por ele em São Paulo.

 

A assessoria de Joesley afirmou que o dono da JBS apenas "destacou dois encontros", mas esteve com o petista em outras ocasiões. O texto confirma que Joesley intermediou encontros de dirigentes do PT com Cunha. O Instituto Lula informou que não vai comentar o relato.

  • Published in Brasil

Morre detenta que teria ateado fogo na própria cela

Morreu no domingo, em Campinas, a mulher que teria ateado fogo na própria cela, na cadeia pública de Monte Mor, no dia 31 de maio. Ela teve 80% do corpo queimado e estava internada no Centro de Tratamento de Queimados, mas não resistiu às complicações. Um vídeo feito na delegacia de Monte Mor no dia do incêndio e divulgado nesta segunda-feira mostra um Guarda Municipal gritando com Regina Célia Alves Santos Rodrigues, de 47 anos. “É uma palhaçada mesmo, né? Se quer se matar, se mata logo de uma vez. Não fica com palhaçada não. Fica aí”, disse o guarda para a mulher.

Nas imagens, divulgadas pela EPTV, enquanto um dos guardas grita com a vítima já queimada outra pessoa que faz as imagens e também manda a mulher ficar quieta. “Fica quieta aí regina.”

A Prefeitura de Monte Mor, informou por meio da Secretaria de Segurança, que os guardas civis citados no caso estão cedidos para a Delegacia do município e que, portanto, a Administração aguarda notificação do delegado responsável pelo caso para que providências administrativas sejam tomadas.

A Polícia Civil informou que o caso é investigado pela Delegacia e que detalhes não podem ser passados devido a segredo de justiça. Sobre o vídeo, a polícia informou que a conduta dos guardas também está sendo investigada e que a Prefeitura será notificada assim que o inquérito for relatado à Justiça. A Corregedoria acompanha o caso.

A mulher foi detida por furto, no dia 30, e encaminhada à cadeia feminina, anexa à delegacia, onde ficou em cela separada e, segundo a polícia, ateou fogo no colchão no dia seguinte à prisão. A família alega que a mulher tinha problemas mentais e que tentava vaga para internação.

 

A Prefeitura informou que há cerca de dois meses foi solicitada vaga para internação pelo CAPS (Centro de Atenção Psicossocial). A vaga foi para internação, mas a família se recusou interná-la, alegando ter cessado a crise. No dia 22 de maio a família voltou a procurar o CAPS, mas a paciente não foi à consulta. Na semana seguinte, foi solicitada a vaga para internação em 29 de maio.

  • Published in Região
Subscribe to this RSS feed
Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.