Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42
Log in
Região

Região (636)

Campinas registra morte de macacos por febre amarela

A Secretaria de Saúde de Campinas confirmou nesta sexta-feira (24) a morte de três macacos bugios por febre amarela. Exames feitos no Instituto Adolfo Lutz atestaram que os animais encontrados sem vida na fazenda Santa Lídia, no distrito de Sousas, foram vítimas da doença. Como medida, cerca de mil moradores da área rural de Sousas serão vacinados neste final de semana. A vacinação será feita de casa em casa a partir da manhã deste sábado.

As pessoas que não estão vacinadas devem evitar visitar a área rural dos distritos de Sousas e Joaquim Egídio neste momento ou fazer o uso de repelente a cada duas horas se for aos distritos, como orienta a Vigilância em Saúde. Não há casos suspeitos em humanos na região e a Prefeitura afirma que não há motivo para pânico ou corrida aos postos.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas, Andrea von Zuben, afirma que a confirmação do instituto chegou nesta sexta. Os três animais foram encontrados no mesmo ponto da Fazenda Santa Lídia. Eram uma fêmea e um filhote, mais um macho adulto, que pode ser o pai. Há outros cinco casos de morte de macacos na cidade em investigação. Segundo Andrea, a confirmação somada ao encontro de outros seis macacos com febre amarela na região rural de Amparo e Monte Alegre do Sul demonstram a ocorrência do ciclo silvestre da febre amarela na região rural de Campinas. Ela explica que no ciclo silvestre, a transmissão ocorre entre macacos e mosquitos silvestres, do gênero Haemagogus. O homem só se expõe ao vírus quando entra neste ambiente sem estar previamente vacinado.

Silvestre

Andrea afirma que a confirmação preocupa, mas não há motivo para pânico. “Não é um mosquito urbano. É um mosquito que vive em copas de árvores, tem habitat na mata. Dentro da minha casa ou em área urbana, na maior parte da região de Campinas, ele não está presente. Hoje, a atenção é para a região de mata. Se a pessoa não costuma frequentar mata não muda nada e não tem que fazer corrida aos postos.” Já a pessoa que anda de bicicleta em trilha ou realiza outras atividades na mata deve procurar se imunizar. Os distritos de Sousas e Joaquim Egídio são considerados centros de turismo rural na cidade. A Secretaria de Saúde orienta as pessoas que pretendem visitar a região que estejam previamente vacinadas contra a febre amarela ou a fazerem o uso de repelente a cada duas horas. “Se quer ir para Sousas, não tem jeito, vai entrar na mata, que use repelente e agende sua vacina no 156 ou 160, mas não deve correr o risco de ir no meio da mata.”

Vacinação

A partir deste sábado, a Secretaria de Saúde dá início a uma ação de bloqueio vacinal na região onde os animais foram encontrados. E o objetivo é ampliar o raio, na sequência, para outras regiões. “Vamos trabalhar com a população ao redor desse encontro. Quem não tiver vacinado a gente vacina.” A Secretaria de Saúde planeja aplicar mil doses. “Vamos batendo nas fazendas para fazer a vacinação casa a casa. É uma área bem mais erma. São fazendas grandes com menos habitantes.” Segundo Andrea, desde o começo do ano foram aplicadas 25,5 mil doses da vacina contra a febre amarela em Campinas. “Temos em média 3 mil doses por semana sendo aplicadas. Hoje, no sistema de agendamento, estamos tendo uma falta de 40% das pessoas. Bastante gente agenda e não vai”, afirmou.

Reunião

A pessoa que toma a vacina contra a febre amarela fica protegida após 10 dias e a proteção permanece por 10 anos. Quem já tomou duas doses está protegido por toda a vida e não deve ser revacinado. Os técnicos da Secretaria de Saúde de Campinas estarão reunidos com a Secretaria de Saúde do Estado na segunda-feira, às 13h, para avaliação da necessidade de medidas adicionais, entre elas a ampliação das doses. “Preparamos material para ver ou não se vai ser necessário aumentar as doses de vacinas para a cidade. Vai depender do monitoramento que estamos fazendo.”

Monitoramento

Paralelamente à imunização, a Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) está monitorando os mosquitos por meio de armadilhas. Segundo Andrea, as armadilhas foram colocadas em toda a extensão das matas de Campinas com o objetivo de saber onde o mosquito transmissor está sendo encontrado. “E continuamos monitorando os macacos.” O trabalho da Sucen teve início na semana passada, após a confirmação da febre amarela em macacos de Amparo e Monte Alegre do Sul.

Duas cidades da região tiveram confirmações

A Secretaria de Estado da Saúde já havia confirmado na quinta-feira a morte por febre amarela de quatro macacos em Amparo e dois em Monte Alegre do Sul. Com as mortes confirmadas nesta sexta-feira em Campinas, sobe para nove o número de animais vítimas da doença. As ações de bloqueio vacinal para os moradores da zona rural de Amparo e Monte Alegre do Sul estão previstas para acontecer no próximo mês. Amparo tinha uma morte de primata confirmada no dia 16 de março. Os outros três casos positivos foram confirmados anteontem. Já Monte Alegre do Sul divulgou ontem a nota com a confirmação da morte de dois primatas em área de matas do município. Em nota, informou que o Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), Regional Campinas, enviará na primeira semana de abril um lote para imunização dos moradores da zona rural. As mortes de primatas pela doença confirmam a circulação do vírus pela primeira vez na região de Campinas. (IM/AAN)

Prefeitura faz novo mutirão contra o Aedes

A Prefeitura de Campinas realiza neste sábado mais um mutirão contra arboviroses. Entre 8h e 12h, 334 profissionais da Secretaria de Saúde realizarão busca e bloqueio de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, em todas as regiões da cidade. A ação inclui, também, um trabalho de orientação à população. A expectativa é que cerca de 12,4 mil imóveis sejam vistoriados. As atividades aos sábados são concentradas em áreas onde há maior número de pendências (imóveis não visitados) nas atividades realizadas durante a semana. (AAN)

SERVIÇO

 

A vacinação contra a febre amarela neste sábado em Campinas é feita por agendamento por meio dos telefones 160 e 156. Em caso de chuva, a ação será cancelada.

Estado confirma 6 mortes de macacos por febre amarela na região de Campinas

cretaria de Estado da Saúde confirmou nesta quinta-feira (23) que 6 macacos encontrados mortos na região de Campinas  foram vítimas da febre amarela: quatro em Amparo  e dois em Monte Alegre do Sul. Ações de bloqueio vacinal para os moradores da zona rural dos dois municípios estão previstas para acontecer no próximo mês.

Diretora do Centro de Vigilância Epidemiologica (CVE) do Estado de São Paulo, Regiane de Paula explica que não há, no momento, orientação para vacinação da população urbana dos dois municípios, mas destacou a importância da imunização para turistas que pretendem visitar as cidades.

Regiane explica que as mortes de primatas pela doença confirmam a circulação do vírus pela primeira vez na região de Campinas. "Nesse momento, o que a gente tem a circulação do vírus silvestre. No ciclo silvestre, o macaco é o hospedeiro natural. Só quando não tem mais a população de macacos, é que o hospedeiro vai ser o homem, mas a gente chama de um hospedeiro acidental."

Amparo

 

Amparo havia sido notificada do 1º caso de morte de macaco por febre amarela no dia 16 de março, e já se prepara para vacinar os moradores da zona rural. Os outros três casos positivos doram confirmados nesta quinta. "Nessa primeira fase serão cinco equipes com quatros profissionais para iniciar as ações", explicou Maria Silvia Bergo Guerra, secretária municipal de Saúde.

Os agentes de saúde estão sendo vacinados e o bloqueio vacional está previsto para começar no dia 1º de abril, no bairro das Rosas, onde o animal foi encontrado morto. A cidade ficou sem doses da vacina nesta quinta-feira, mas o CVE informou que uma carga para atender pessoas que precisam viajar para áreas de risco foi disponibilizada à tarde.

Monte Alegre do Sul

 

A Prefeitura de Monte Alegre do Sul informou que um lote de vacinas, recebido na última semana, foi utilizado para imunização dos profissionais que irão atuar na imunização da população. Mais doses serão recebidas na primeira semana de abril, para que seja feito o bloqueio vacinal na zona rural.

Campinas

 

A Secretaria de Saúde de Campinas informou que 11 macacos foram encontrados mortos na cidade de 1º de janeiro até esta quinta-feira. Não há confirmação de casos de febre amarela nos primeiras: 6 já foram descartados e 5 aguardam o resultado dos exames.

Hospital de Hortolândia recebe mais presos da P3 com sintomas de intoxicação alimentar

Ao menos mais dois presos foram levados para o Hospital Mário Covas, em Hortolândia (SP), na manhã desta quarta-feira (22) com sintomas de intoxicação alimentar. Na noite de terça-feira (21) eram dez os detentos internados, segundo a Prefeitura.

As autoridades confirmaram a morte de um detento, mas o nome dele não foi divulgado. Vinte e seis foram atendidos no Complexo Campinas/Hortolândia com ajuda do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), segundo a Prefeitura.

Amostras dos alimentos servidos na Penitenciária 3, de onde eles são, foram coletadas para análise, e a Polícia Civil vai investigar as causas da intoxicação.

A Secretaria de Administração Penitenciária (Sap) informou que os presos que passaram mal relataram terem comido macarrão e estrogonofe levados por parentes dos internos no final de semana passado.

Ainda segundo as autoridades, amostras destes alimentos não foram coletadas porque não havia mais após o almoço de domingo (19).

O Complexo Campinas/Hortolândia tem 10.756 detentos. Na P3, são 1.474. Os presos que passaram mal são da ala 2.

Morte

O corpo do preso será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Americana (SP) para que seja possível determinar a causa do óbito. A funerária responsável pelo recolhimento do corpo, durante à tarde, disse que aguardava o registro da ocorrência na delegacia de Hortolândia para realizar o traslado.

 

A SAP informou que a unidade está apurando a causa da possível intoxicação. Segundo a Polícia Civil, informações detalhadas sobre o que causou o problema só devem sair quando o laudo sanitário ficar pronto. O prazo é de 30 dias.

Um preso morre e 7 são internados após intoxicação alimentar no presídio de Hortolândia

Um preso morreu e sete foram internados no Hospital Municipal Mário Covas, em Hortolândia, nesta terça-feira (21), após apresentarem sintomas de intoxicação alimentar dentro da Penitenciária 3, no Complexo Campinas/Hortolândia. Outros 25 estão sendo tratados na unidade prisional. De acordo com a direção da P3, os detentos alegaram terem comido macarrão e estrgonofe levados por visitantes.

Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informou que presos de uma cela apresentaram os sintomas de intoxicação alimentar na noite de segunda-feira (20) e foram atendidos e medicados pela equipe de saúde da unidade.

"Durante a madrugada um dos presos da cela se sentiu mal e quando foi encaminhado para a enfermaria da unidade já não possuía sinais vitais. Foi comunicada a autoridade policial e ainda não há a causa do óbito. A perícia foi realizada agora há pouco pela polícia", diz a nota enviada ao G1 às 13h40.

A Prefeitura de Hortolândia informou que a Vigilância Sanitária foi acionada e encaminhará amostras das refeições para análise.

Morte no presídio

O corpo do preso que morreu na madrugada desta terça será encaminhado ao IML de Americana, para que seja possível determinar a causa do óbito. A funerária responsável pelo recolhimento do corpo aguarda o registro da ocorrência na delegacia de Hortolândia para realizar o traslado.

A SAP informou que a unidade está apurando a causa da possível intoxicação. Já a Secretaria de Saúde de Hortolândia disse que sete detentos seguem internados no Hospital Municipal Mário Covas.

Em nota, a pasta informou que a "direção do hospital reservou uma sala aos cuidados destes pacientes, que recebem medicação e passam por procedimento de lavagem gástrica. A equipe médica ainda avalia ao estado de saúde dos detentos".

 

 

Prefeitura de Nova Odessa começa a funcionar em horário reduzido

A Prefeitura de Nova Odessa  começa a funcionar somente no período da manhã a partir desta segunda-feira (20). A medida promete gerar uma economia de aproximadamente R$ 90 mil mensais, segundo a administração municipal, que já reduziu temporariamente o expediente dos servidores em 2015 e 2016.

De acordo com a Prefeitura, a redução da carga horária dos servidores foi proposta por um comitê financeiro e aceita pelo prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza (PSDB). A maior parte dos departamentos municipais passará a funcionar das 8h às 12h ou das 7h às 11h -- confira abaixo como funcionarão as repartições. A alteração não vai afetar serviços nas áreas de educação e saúde, conforme a administração.

Com a mudança, não haverá redução de salários dos servidores, mas a ação deve gerar economia com o contrato de alimentação e com despesas relacionadas ao consumo de combustíveis e aos gastos com telefone, luz e água, informa a Prefeitura. O decreto que instaura o expediente reduzido foi publicado nesta terça-feira (14) em Diário Oficial e vai vigorar por 90 dias.

A previsão de economia é baseada na experiência com os anos anteriores, conforme o secretário de Administração, Júlio César Camargo. “Esta é a nossa perspectiva com base na experiência que tivemos entre 2015 e 2016, quando também precisamos adotar por um período a redução na carga horária”, disse.

Outras ações devem ser adotadas na cidade. "Horas extras podem ser feitas apenas com autorização prévia e temos analisado situações que possam contribuir para redução das despesas. Além disso, seguimos com a revisão e renegociação dos contratos com fornecedores”, afirmou Camargo.

Confira como vão funcionar as repartições municipais em Nova Odessa:

(alterações vão vigorar por 90 dias a partir de 20 de março)

Setores que funcionarão das 8h às 12h

Paço Municipal

Segurança e Medicina do Trabalho

Almoxarifado

Arquivo Público

Diretoria de Transportes e Sistema Viário

Diretoria de Habitação

Diretoria de Promoção Social

Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas)

Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Posto Local do Trabalho (PLT)

Padaria

Banco do Povo

Procon

Defesa Civil

Junta Militar

Diretoria de Cultura e Turismo

Diretoria de Trânsito

Das 7h às 11h

Diretoria de Serviços Urbanos

Garagem

Coleta de lixo

Diretoria de Parques e Jardins

Viveiro de Mudas

Permanecem com expediente normal

Bosque Manoel Jorge

Parque Ecológico Isidoro Bordon

Cemitério e Velório Municipal

Agentes de Trânsito

Secretaria de Esportes

Ginásios de Esportes

Guarda Municipal

Centro de Atenção Psicossocial (Caps)

Centro de Referência e Assistência Social (Cras)

Centro de Assistência Social (CAS)

Clube da Melhor Idade

Secretaria de Educação

Centros Municipais de Educação Infantil

Escolas Municipais de Ensino Fundamental

Setor de Merenda Escolar

Hospital e Maternidade Dr. Acílio Carreon Garcia

Unidades Básicas de Saúde e Unidade Básica de Atendimento Avançado

Farmácia Central

Vigilância em Saúde

 

Diretoria de Suprimentos e Diretoria de Recursos Humanos

Choque entre trens de carga bloqueia linha férrea em Estiva Gerbi

 

 

 

Doiss trens de carga colidiram de frente na tarde deste sábado (11) em Estiva Gerbi, na região de Campinas. De acordo com a Guarda Municipal, cerca de dez vagões tombaram no acidente, que aconteceu por volta das 14h, no Bairro Jardim Taguá II. Ninguém ficou ferido. As causas da batida estão sendo apuradas pela empresa VLI Logística, que administra a Ferrovia Centro-Atlântica, onde ocorreu a colisão.

O acidente foi próximo ao limite com Mogi Guaçu, no pátio de cruzamento, e um dos trens estava parado. [Veja imagens do local após o acidente no vídeo acima] A ferrovia ficou bloqueada no local. Segundo a Polícia Militar, não há linha férrea alternativa na cidade.

De acordo com a empresa VLI Logística, responsável pelo transporte, as composições férreas tinham 76 vagões e duas locomotivas cada uma. Uma delas estava vazia e seguia de Santosx (SP) para Araguarix (MG). A outra estava carregada de soja e ia de Uberabax (MG) para o porto santista.

Com o impacto, houve o descarrilamento de dois vagões e o tombamento de outros seis, segundo a companhia, que trabalha para liberar a circulação da linhã férrea, mas sem previsão de finalização.

Moradores nas ferragens

No momento do acidente, o militar Kelvyn Vituriano Mamede estava em uma residência a cerca de 300 metros do local da colisão. Ele e outras pessoas curiosas se arriscaram entre as ferragens. [Veja no vídeo acima]

“Eu só escutei o barulho, que foi muito alto. Eu vim aqui e vi que um trem tinha batido de frente com o outro”, diz.

Ele fez um vídeo com o telefone celular onde é possível ver os vagões tombados e a carga de soja, levada por uma das composições férreas, ficou espalhada pelos trilhos. De acordo com a Polícia Militar, não foi preciso acionar o Corpo de Bombeiros de Mogi Guaçu (SP), que dá suporte à cidade, pois não há risco de explosão.

No entanto, os moradores que foram ao local para ver de perto o ocorrido informaram que um líquido que se parece com óleo vazou dos trens, perto de um córrego. A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) disse que foi acionada pela VLI Logistica e técnicos vão avaliar a situação no local. "A principio confirmou-se que houve vazamento de óleo lubrificante de uma das locomotivas. Ainda não sabemos a quantidade vazada e se houve algum dano ambiental", informou na nota.

A empresa VLI Logística informou que o local do acidente foi isolado por questões de segurança. Disse também que os maquinistas que conduziam os trens, embora sem ferimentos, foram encaminhados pela empresa para atendimento médico por precaução e passam bem.

 

Sobre o vazamento de óleo lubrificante de uma das locomotivas, a VLI confirmou que, de fato, ele ocorreu, mas que foi contido com a chegada da equipe. Disse que não atingiu o curso d’agua e não apresenta risco para as pessoas. As causas do acidente estão sendo apuradas por uma comissão de técnicos da empresa.

  • Published in Região
  • Written by

Caixa amplia atendimento sobre contas inativas do FGTS na região

 

 

 

Por causa da grande procura por consultas sobre as contas inativas do FGTS e a proximidade com o primeiro prazo para saque, as agências da Caixa Econômica Federal da região de Campinas terão o atendimento ampliado a partir desta sexta-feira (10).

Segundo a instituição, todas as unidades terão o horário de abertura antecipado para duas horas mais cedo nesta sexta-feira (10), segunda-feira (13) e terça-feira (14).

Já no sábado (11), 50 agências atenderão no horário das 9h às 15h [Confira na tabela abaixo]. Além disso, o número de atendentes para tratar do assunto também será ampliado. "A gente tá verificando as unidades que tem maior fluxo de pessoas, uma maior demanda e tem buscado tirar de algumas unidades onde tem uma menor procura para estas unidades como forma de ajudar nesse atendimento", explica o superintendente regional da Caixa, Sérgio Luis Scramin.

De acordo com a instituição, nos últimos dias, a busca pelos serviços relacionados ao fundo de garantia cresceram cerca de 50%, e desde o anúncio da liberação para o saque, mais de 70% na região.

Via rede social

O diretor executivo do FGTS da Caixa, Valter Nunes, participa nesta quarta-feira (8) de uma transmissão ao vivo para esclarecer dúvidas sobre o saque das contas inativas pela rede social da instituição a partir das 15h.

 

O pagamento das contas inativas inicia nesta sexta-feira (10) e segue até o dia 31 de julho, de acordo com a data de nascimento do trabalhador. Neste primeiro lote, receberão os que nasceram nos meses de janeiro e fevereiro.

  • Published in Região
  • Written by

Taxistas protestam contra transporte por aplicativos em Campinas

 

 

 

Taxistas protestam no entorno da Prefeitura de Campinas nesta segunda-feira (6). Eles reivindicam participação nas negociações do projeto que vai regularizar o serviço de transporte por meio de aplicativos de celulares. O trânsito está lento na região central, já que os manifestantes fecharam a Avenida Anchieta, na esquina com o paço municipal. Em tempo real, confira o trânsito em Campinas.

Um dos manifestantes disse que eles não são contrários ao trabalho executado pelos motoristas de aplicativos, como o Uber, mas querem que eles sejam submetidos às mesmas regras como o pagamento de impostos.

A reportagem viu agentes da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) desviando o trânsito de carros na região da Prefeitura. A pista da esquerda da Avenida Anchieta foi liberada às 11h. O lado direito da via está bloqueada, segundo a Emdec.

Projeto

O impasse entre a Prefeitura e vereadores sobre o projeto que irá regulamentar os serviços de transporte individual por aplicativos em Campinas, incluindo da Uber, chegou ao fim após um acordo no dia 20 de fevereiro. O governo informou que usará como base o plano elaborado pelos parlamentares Tico Costa (PP) e Gilberto Vermelho (PSDB), e cogita limitar a quantidade de motoristas das empresas, ao permitir apenas carros com placas do município.

 

Nesta segunda-feira (6), o Executivo informou que trabalha na elaboração do projeto e que não há uma data prevista para o fim das análises. Técnicos da Emdec e do Jurídico estudam a legislação para finalizar os trabalhos.

  • Published in Região
  • Written by

Guarda de Sumaré participará em reality show

 

 

 

A guarda municipal de Sumaré, Magali Inácio Alcântara, de 31 anos, que também trabalha como barbeira, foi uma das 15 pessoas selecionadas para participar do reality show The Best Barber Brasil, que será transmitido pela Record News. O programa, que vai escolher o melhor barbeiro do Brasil, começou a ser gravado neste fim de semana e deve durar cerca de três meses. Os melhores colocados receberão prêmios em dinheiro e cursos de capacitação no exterior.

 

Para Magali, mais do que o dinheiro, a participação no reality é importante porque pode ajudar a alavancar sua carreira. Ela afirma que consegue conciliar as duas profissões sem problemas. “Faz 15 anos que trabalho como barbeira e, na GM estou há sete anos. Dá para conciliar”, afirmou. Para poder participar do programa, Magali solicitou à Secretaria de Administração e Serviços Públicos, afastamento não remunerado. Os participantes ficam confinados em uma casa e participam de provas em que terão que demonstrar suas habilidades. A barbeira mora em Sumaré e atende em uma barbearia de Monte Mor.

  • Published in Região
  • Written by

RMC tem 33,6 mil eleitores com risco de perda do título de eleitor, diz TRE

 

 

 

Os 20 municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC) têm 33,6 mil eleitores que deixaram de votar e não apresentaram justificativas nas últimas três eleições, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP). A regularização do título deve ser feita até 2 de maio.

A orientação é para que o eleitor procure o cartório eleitoral e apresente documento de identidade com foto, título e comprovantes de votação, justificativa, de recolhimento da multa ou de dispensa do recolhimento. Caso contrário, o título do cidadão é automaticamente cancelado.

Campinas tem 13,3 mil eleitores nesta situação, o maior número na região. Veja lista abaixo.

A Justiça não fará um comunicado para que o cidadão regularize o documento, e a consulta sobre a situação do título pode ser realizada pelo site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O eleitor com o título cancelado não pode votar. Sem quitação com a Justiça Eleitoral, ele perde, entre outros direitos, o de retirar passaporte, carteira de identidade, inscrever-se em concursos públicos e matricular-se em instituições públicas de ensino, segundo a assessoria do TRE-SP.

Resultados recentes

Um em cada três eleitores da região deixou de ir às urnas ou votou em branco/nulo para prefeito, nas eleições municipais de 2016, de acordo com a Justiça Eleitoral.  O total inclui 757,2 mil cidadãos, 34,6% dos 2,1 milhões que estavam com título regularizado nos 20 municípios.

Na RMC foram contabilizados 1,4 milhão de votos válidos, que são usados pela Justiça na divulgação de resultados oficiais. Seis cidades alcançaram índice total superior a 90%; enquanto Pedreira (SP), onde o prefeito eleito Hamilton Bernardes (PSB) foi único candidato na disputa, registrou índice de 59,53%, o mais baixo entre os municípios da região.

De acordo com o TSE, os municípios somaram juntos 97 mil votos brancos, sendo que o maior percentual, de 12,26%, também foi registrado em Pedreira. Já o índice mais expressivo de votos nulos, de 30,15%, ocorreu em Monte Mor (SP), onde Thiago Assis (PMDB) foi reeleito prefeito.

Campinas

 

Com maior colégio eleitoral da RMC, Campinas teve 185.979 abstenções - maior quantidade em números absolutos e também proporcionalmente, em 22,62%. Além disso, este total supera os 170.853 votos distribuídos entre candidatos derrotados que estavam com candidatura deferida: Artur Orsi (PSD), Marcio Pochmann (PT), Marcela Moreira (PSOL), Surya Guimaraens (Rede), Jacó Ramos (PHS), Marcos Margarido (PSTU) e Edson Dorta (PCO). O número de abstenções equivale a 57,5% dos 323.308 votos que reelegeram Jonas Donizette (PSB) como prefeito.

  • Published in Região
  • Written by
Subscribe to this RSS feed
Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.