Esportes

Esportes (698)

Ponte lança camisa inspirada nos anos 30 e 40

A Adidas iniciou ontem a venda de mais um modelo de camisa da Ponte Preta. Com o slogan "Toda tradição tem uma origem. Tudo que é original é para sempre", a empresa resgatou o uniforme branco com a faixa transversal invertida na cor preta que será utilizado pelo time na temporada 2017/18.

Chamada de "Majestosa", a camisa buscou inspiração nas décadas de 1930/40 quando a Macaca jogava com a faixa invertida. "Em homenagem aos grandes esquadrões que faziam da Ponte Preta, assim como hoje, uma grande potência do Interior e ao Estádio Moisés Lucarelli que está prestes a completar 70 anos, lançamos esta camisa ‘majestosa’", conta Luiz Gaspar, executivo da Adidas Brasil.

O presidente Vanderlei Pereira ressalta a comemoração de 80 anos da criação do modelo. "Este uniforme estreou em 1937 e continuou sendo usado durante a década de 1940. Inclusive, tinha uma versão da faixa branca na camisa preta. Foi com uma camisa como esta, inclusive, que a Ponte Preta jogou pela primeira vez no Majestoso", cita.

O time entrou em campo na inauguração do estádio alvinegro, em 12 setembro de 1948, com a faixa invertida e perdeu por 3 a 0 para o XV de Piracicaba. Naquele jogo, entrou em campo com Serafim; Alcides, Sapatão, Nêgo, Gaspar e Rodrigues; Damião, Gaiola, Vicente, Armandinho e Oliveira.

A venda começou ontem na Ponte Store, loja oficial do clube, localizada no portão de entrada do Moisés Lucarelli, nas lojas físicas oficiais da Adidas e também pelos sites www.maiordointerior.com.br e www.adidas.com/ponte_preta. Os preços são R$ 249,99 (adulto) e R$ 229,99 (infantil). O produto vem sem as logomarcas dos patrocinadores, mas o torcedor pode pedir a inserção de todos e até sublimar seu nome.

A camisa conta com a tecnologia ClimaCool, que considera como e onde o corpo produz mais calor e coloca tecidos específicos nessas áreas para melhorar a ventilação. Assim, ajuda a manter a pele fresca e seca, além de garantir respirabilidade.

A gola é careca canelada, com uma tira na parte de trás. Tem apliques em mesh nas laterais, estampa sublimada na frente, além do escudo da Ponte Preta costurado à esquerda do peito e as três listras nas laterais. A marca Adidas está costurada à direita do peito.

 

A estreia oficial acontecerá no próximo jogo da Ponte em Campinas, dia 4, contra o São Paulo, pela 4ª rodada do Brasileirão. Antes disso, o time entrará em campo domingo, às 11h, em Belo Horizonte, para o jogo com o Atlético-MG.

Supremo espanhol confirma pena de 21 meses de prisão a Messi

O Tribunal Supremo da Espanha confirmou nesta quarta-feira a pena de 21 meses de prisão ao jogador Lionel Messi por três crimes de fraude fiscal.

A defesa do atacante do Barcelona havia entrado com recurso para reverter a decisão, mas a principal instância da Justiça no país indeferiu o pedido.

Messi é acusado de sonegar um total de 4,1 milhões de euros da Fazenda espanhola nos anos de 2007, 2008 e 2008 - ele não declarou 10,1 milhões de euros recebidos por seu direito de imagem durante esse período.

Em sua defesa, o jogador alegou que tinha confiado suas obrigações fiscais a seu pai, Jorge. "Eu me dedicava a jogar futebol. Confiava em meu pai e nos advogados que tínhamos decidido que acertariam as coisas. Em nenhum momento me passou pela cabeça que iam ma enganar", dissera o atacante em 2016.

Jorge Horácio Messi teve sua pena reduzida pelo Supremo de 21 para 15 meses de prisão, pois seu filho devolveu à Fazenda o dinheiro sonegado.

 

A Audiência Nacional em Barcelona susteve em sua sentença que Lionel Messi atuou com "ignorância deliberada" por evitar se informar sobre o que estava a seu alcance. O tribunal recriminou o atacante por atuar com essa "indiferença" quando existia uma "suspeita justificada" de que o método para gerir seus direitos de imagem não era lícito.

Ex-presidente do Barça é detido por corrupção e lavagem de dinheiro

O ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, foi detido na manhã desta terça-feira em uma operação conjunta da Guarda Civil e da Polícia Nacional sob a acusação de lavagem de dinheiro, em ação ordenada pelo Supremo Tribunal. Segundo informações dos jornais "El Confidencial" e "El Mundo", os investigadores acreditam que Rosell integra uma rede que participou de pagamentos irregulares de direitos de imagem de partidas amistosas da seleção brasileira na época em que Ricardo Teixeira comandava a CBF.

De acordo com as apurações dos investigadores, a operação se fixa ao período em que Sandro Rosell ainda não dirigia o Barça e era dono da Ailanto Marketing, empresa que “explorava os direitos desportivos da Seleção”, como reproduz o jornal catalão “Sport”. Seguindo a linha de investigação, Rosell teria cobrado taxas consideradas irregulares, e o dinheiro originado de tais transações fora desviado para contas bancárias não associadas ao empresário.

As investigações sobre o ex-mandatário máximo do Barcelona tiveram início em 2015, como parte de toda a operação que visava às apurações de suspeitas, posteriormente desvendadas, de propinas e subornos envolvendo membros da FIFA.

Os jornais "El Confidencial" e "El Mundo" informaram que a juíza do caso, Carmen Lamela, determinou o embargo preventivo de 10 milhões de euros (cerca de R$ 36 milhões pelo câmbio atual) em depósitos bancários e mais de 50 imóveis que contabilizariam mais de 25 milhões de euros (R$ 91 milhões). Os agente fizeram incursões em residências e escritórios de Rosell.

Ainda segundo informações do "El Confidencial" e "El Mundo", além do ex-presidente do Barcelona outros quatro suspeitos foram detidos na operação "Jules Rimet", francês ex-presidente da Fifa idealizador da Copa do Mundo que deu nome à taça que acabou conquistada pela seleção brasileira de forma definitiva em 1970 e foi posteriormente roubada da sede da CBF na década de 80. A ação ainda teria como alvos Ricardo Teixeira e antigos dirigentes da entidade verde-amarela.

 

 

'Mito' Paraíba celebra a boa fase no Majestoso

A estreia no Campeonato Brasileiro não poderia ter sido melhor para o lateral-direito Nino Paraíba. Além de marcar um dos quatro gols na goleada de 4 a 0 sobre o Sport, algo que não fazia há quase cinco anos, deu assistência, fez cruzamentos e foi eficiente na marcação. Desde a atuação quase perfeita, ele ganhou um novo apelido entre os colegas: "Mito Paraíba".

Uma virada e tanto para quem chegou a ser colocado em segundo plano pela Ponte Preta há cerca de um ano. "Desde que cheguei, minha intenção sempre foi ajudar. Graças a Deus, estou conseguindo e hoje estou muito feliz aqui", disse o atleta, que já fez 65 partidas oficiais pela Macaca.

A fase do jogador de 31 anos é tão positiva que surgiram rumores de possíveis interessados em sua contratação. Um deles seria o Botafogo. "Se tem alguma coisa acontecendo, não estou sabendo de nada. Tenho contrato com a Ponte até o final do ano e meu foco está somente aqui", afirma.

Para tranquilizar a torcida e garantir a permanência do lateral, a diretoria da Macaca até se posicionou oficialmente a respeito. O gerente de futebol Gustavo Bueno revelou a existência de multa contratual estipulada em R$ 5 milhões pela rescisão do atual compromisso que vale até dezembro deste ano. Valor que, segundo o dirigente, não é nada animador para algum clube brasileiro, levando-se em conta ainda que o atleta tem 31 anos de idade.

Se hoje tudo vai bem, Nino ainda recorda do período ruim no Majestoso depois do Paulistão de 2016. "Estava disputando posição com o Jeferson e cheguei a ser colocado para treinar em separado. Quando o Eduardo Baptista chegou, tive uma boa conversa com ele e ganhei nova oportunidade. Entrei e, desde então, só tem acontecido coisas boas na minha vida. Foi com muito trabalho e dedicação que consegui dar esta virada", conta.

Último gol

 

Antes do jogo com o Sport, a última vez que Nino havia marcado gol foi quando ele atuava pelo Vitória. No triunfo por 5 a 3 sobre o América-MG pela 35ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, no dia 7 de novembro de 2012, no Barradão, ele balançou a rede duas vezes. "Meus companheiros na Ponte já estavam até tirando onda comigo porque eu chutava e não marcava de jeito nenhum. Ou a bola ia para fora, ou o goleiro pegava. Agora, depois deste gol, já estão de chamando até de 'Mito' Paraíba", destaca, sorrindo. A Macaca volta a campo, domingo, às 18h, no Rio de Janeiro, diante do Botafogo.

Ponte ganha de goleada do Sport

Além de Clayson, Lucca e Nino Paraíba marcaram os gols da Ponte Preta, que somou os primeiros três pontos na competição. Já o Sport, que poupou alguns titulares porque vai disputar o primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, contra o Bahia, na quarta-feira, em Recife (PE), na Ilha do Retiro. A final do Campeonato Pernambucano contra o Salgueiro vai acontecer somente dia 18 de junho. O segundo no Interior, porque na ida houve empate por 1 a 1.

Quem ficou na frente do banco de reservas neste domingo foi o auxiliar João Brigatti, já que Gilson Kleina ficou de fora porque ainda tinha uma partida de suspensão para cumprir em relação ao ano passado, quando estava no Goiás.

MACACA COMEÇA BEM

A partida no Majestoso começou bastante equilibrada, com a Ponte Preta apostando na velocidade de Clayson e Lucca. Já o Sport tinha um pouco mais de posse de bola.

A primeira oportunidade do jogo veio aos dez minutos. Lucca cobrou escanteio fechado e quase surpreendeu Magrão, que espalmou para longe.

Aos 19 minutos, a Macaca criou a melhor chance do jogo até então. Clayson deu grande passe para Lucca, que, de frente para Magrão, exagerou na força e mandou por cima.

Na sequência, Everton Felipe cobrou e Matheus Ferraz, livre de marcação, cabeceou para fora. Lucca, mais uma vez, apareceu nas costas da zaga rubronegra e bateu fraco.

Após cobrança de escanteio de Lucca, Naldo subiu na primeira trave e cabeceou para fora. Melhor em campo, a Ponte Preta abriu o placar aos 40. Ravanelli cobrou escanteio na segunda trave e Lucca subiu bem, cabeceando no cantinho de Magrão. Quatro minutos depois, João Lucas foi na linha de fundo e cruzou na cabeça de Nino Paraíba, que ampliou.

VIROU PASSEIO

Em vantagem no placar, a Ponte Preta voltou mais tranquila do intervalo e passou a valorizar a posse de bola, explorando o contra ataque com Lucca e Clayson. Aos nove, Clayson arriscou de fora da área e Magrão fez defesa segura. O Sport não conseguia oferecer perigo ao goleiro Aranha.

Aos 16, Elton arriscou de longa distância e a bola passou por cima do travessão sem assustar Magrão. Em seu jogo de despedida - deve se apresentar no início da próxima semana no Corinthians -, Clayson ampliou para a Ponte Preta aos 27 minutos em cobrança de pênalti.

O gol acabou com qualquer chance de reação do Sport.

Na sequência, Juninho recebeu dentro da área e na hora de chutar foi travado por Marllon. O terceiro gol da Macaca desanimou o time pernambucano, que quase viu o quarto dos donos da casa. Lucca recebeu dentro da área e cruzou na marca do pênalti. Elton pegou torto e mandou para fora.

Nos acréscimos, Nino Paraíba recebeu passe em profundidade pela direita e cruzou para dentro da área. A bola passou por Magrão e encontrou Clayson, que apenas teve o trabalho de completar para o fundo das redes.

PRÓXIMOS JOGOS

Os dois times voltam a campo no próximo domingo pela segunda rodada do Brasileirão. A Ponte Preta vai até o Rio de Janeiro enfrentar o Botafogo, às 18 horas, no Nilton Santos, enquanto o Sport recebe o Cruzeiro, às 19 horas, na Ilha do Retiro, em Recife.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fábio Ferreira falta a viagem, irrita Kleina e decreta saída da Ponte

Fábio Ferreira cavou de vez o fim da sua passagem pela Ponte Preta. Se o desempenho em campo, principalmente na primeira partida da final do Paulistão, já deixava em xeque o futuro do zagueiro no Majestoso, a ausência na viagem para a Argentina foi a gota d´água e praticamente decretou a saída dele. Na volta da diretoria ao Brasil, uma reunião vai selar o adeus de Fábio à Macaca.

O defensor estava entre os relacionados para o duelo contra o Gimnasia La Plata, na última terça-feira, mas simplesmente não apareceu para embarcar. Até por isso Gilson Kleina teve apenas 17 jogadores à disposição no empate por 1 a 1, uma vez que não dava mais tempo de alterar a lista por conta de trâmites burocráticos da companhia aérea. A atitude de Fábio irritou o comandante.

- Convocamos 18 jogadores, mas de última hora não tivemos a presença do Fábio Ferreira. Não dava mais tempo de mudar. Vou conversar com o departamento de futebol, nunca passei por isso antes, vamos ver como vai ficar. A Ponte está acima de todos nós e não podemos admitir esse tipo de conduta - disse Kleina, em entrevista à Rádio Bandeirantes, de Campinas.

O Criciúma, que já havia manifestado interesse anteriormente, é o possível destino do zagueiro. Foi justamente do clube catarinense que o atleta chegou ao Majestoso, em agosto de 2015. Com contrato até dezembro, Fábio vai integrar a lista de liberações da Ponte no processo de transição entre o Paulista e o Brasileiro. Fora dos planos, os atacantes Érick Salles e Ramon já rescindiram. Breno Lopes, Cassini e Naldo também estão de saída.

Se Fábio Ferreira está deixando o clube, o experiente Rodrigo vai chegar para substituílo. Prata da casa, o zagueiro de 36 anos foi anunciado na terça. Luan Peres, ex-RB Brasil, também será confirmado em breve para reforçar a defesa alvinegra. Marllon, titular absoluto, Yago, Kadu e Reynaldo são as outras opções para o setor - deles, apenas Yago, com um problema no joelho direito, não está à disposição de Kleina.

 

- É um jogador experiente, vencedor e sabemos a importância dele no grupo. Temos que ter jogadores mobilizados para a sequência - comentou o treinador, elogiando o acerto com Rodrigo.

Após impasse, Richarlyson chega para reforçar o Guarani na Série B

Richarlyson é o novo reforço do Guarani para a Série B do Brasileiro. Mesmo sem um consenso entre a diretoria, o volante de 34 anos chegou ao Brinco de Ouro no início da tarde desta segunda-feira e assinou contrato até dezembro. A apresentação oficial acontecerá logo mais.

Além dele, também desembarcaram no clube o zagueiro Willian Rocha, ex-RB Brasil, e o lateral-esquerdo Eron, ex-Atlético-MG, abrindo em grande estilo a semana da estreia bugrina na competição - sexta-feira, o time recebe o Brasil de Pelotas, às 20h30, com portões fechados.

O nome de Richarylson foi indicado pelo técnico Vadão, mas gerou um impasse interno. Um lado da diretoria era contra, principalmente pelo período inativo do jogador - sem atuar oficialmente desde o fim do ano. A demora quase fez Richarylson desistir de defender o Bugre.

O ainda presidente Horley Senna, porém, bancou a contratação e fechou o negócio, atendendo ao pedido do comandante alviverde, que vê no volante uma peça essencial para o elenco por conta da experiência. Richarlyson foi ao Brinco acompanhado do empresário Júlio Fressato para acertar os últimos detalhes e na sequência saiu no carro de Horley para almoçar. Quando retornar ao estádio, será apresentado à imprensa e já fará o primeiro treino com o grupo.

O acerto com o Guarani marca a volta do volante aos gramados. Depois de atuar pelo FC Goa, da Índia, onde trabalhou com Zico até o fim da temporada passada, ele participou de um programa de dança na televisão brasileira e estava com o futuro em aberto no futebol.

Além do futebol indiano, Richarlyson acumula passagem de destaque por clubes no cenário nacional. Pelo São Paulo, por exemplo, o volante foi tricampeão brasileiro (2006, 2007 e 2008) e campeão mundial (2005). Profissionalizado pelo Fortaleza, o jogador ainda defendeu, Santo André, Atlético-MG, Vitória, Chapecoense e Novorizontino. Atuou, também, pelo Salzburg, da Áustria.

 

Com Richarlyson, Willian Rocha e Eron, o Guarani agora tem 11 reforços para a Série B. Antes, a diretoria já havia fechado com o goleiro Vagner (ex-Mirassol), o lateral-direito Kevin (ex-Cruzeiro), os meia Denner (ex-RB Brasil), Edinho (ex-Mogi Mirim), Juninho (ex-Ferroviária) e Luiz Fernando (ex-Mirassol) e os atacantes Caíque (ex-Taubaté) e Claudinho (ex-Ituano).

Ponte Preta empata e Corinthians fica com o título

A Ponte Preta jogou com dignidade diante do Corinthians, na tarde deste domingo (7), na Arena Corinthians, em São Paulo, e conseguiu um empate por 1 a 1 no segundo jogo da final do Campeonato Paulista. O Timão que poderia perder por até dois gols de diferença por ter goleado em Campinas, por 3 a 0, no domingo anterior, conquistou seu 28º título estadual de sua história.

Romero abriu o placar e Marllon deixou tudo igual no finalzinho do jogo que terminou com a Macaca adiando, mais uma vez, o sonho de se tornar campeã de uma competição de expressão.

Foi um primeiro tempo de muito estudo por parte da Macaca e uma defesa altamente consistente pelo lado corintiano. Nos primeiros minutos, a Ponte teve maior posse de bola, mas não conseguia furar o forte bloqueio armado pelo time adversário que posicionou quatro jogadores na última linha defensiva e não abria mão da estratégia adotada pelo técnico Fábio Carille.

Assim, apesar de controlar bem ações, a Macaca não levava perigo. E, pior que isso, foram os sustos nas jogadas em contra-ataques. Além disso, os erros de passe, que proporcionaram a goleada na primeira partida, voltaram a incomodar.

Foi assim, aos 29', quando Aranha saiu mal na jogada. Jadson pegou próximo da área, cruzou na segunda trave para Romero escorar para Maycon bater no canto. A bola acertou a trave e, na volta, Aranha se redimiu a evitou o gol.

O Timão começou a tomar conta do jogo nos minutos finais da primeira etapa. E, aos 39', Fágner iniciou bela jogada pela direita. Ganhou de Kadu e cruzou na medida para Jô, que errou a finalização.

O primeiro chute da Ponte com certo perigo só aconteceu aos 41' depois que Clayson chutou de fora da área e Cássio caiu para segurar com tranquilildade. Aos 45', Pottker teve sua chance arriscando de longe. A bola passou rente ao travessão.

Mesmo com a entrada de Ravanelli no segundo tempo, o panorama da partida não se alterou. A Ponte tentava chegar ao ataque, mas o Corinthians se defendia com eficiência e não oferecia espaço. Aos 10', Clayson tentou chute de longe, novamente sem perigo, para Cássio segurar firme.

Em mais uma jogada que começou com erro de saída de bola da defesa, a Ponte Preta tomou o quarto gol na decisão de dois jogos com o Corinthians. Fágner pegou o passe errado de Fernando Bob, acionou Jadson, que rolou para Romero. O atacante bateu rasteiro, Aranha fez a defesa parcial e Romero completou, para marcar 1 a 0.

A Ponte ainda teve força para pressionar nos minutos finais. Aos 34', Nino Paraíba escorou lançamento na área e Cássio saltou para evitar o gol de empate. Aos 35', Ravanelli mandou de fora da área e acertou o travessão, na melhor oportunidade da equipe campineira.

 

O gol de honra apareceu no 40º minuto da etapa final. Ravanelli bateu falta na segunda trave, Marllon apareceu por trás da defesa e só tocou para deixar tudo igual no marcador: 1 a 1.

Aranha ainda acredita na Ponte

Há uma linha tênue entre a confiança que o elenco da Ponte Preta tem em conseguir uma reviravolta histórica e reverter a desvantagem de 3 a 0 contra o Corinthians, domingo, na final do Campeonato Paulista, e a constatação do quanto essa missão é difícil. Até por isso, o goleiro Aranha, um dos líderes do grupo, não quer vender ilusão para a torcida, mas ressalta que a Macaca não terá mais nada a perder em Itaquera e, portanto, pode sim surpreender todos os prognósticos.

Aranha argumentou que tudo só estará perdido se a Ponte não conseguir os gols necessários até o apito final. Por isso, luta não pode faltar. “Não vim vender nenhum tipo de ilusão, não é isso que o torcedor quer, mas estamos trabalhando bastante e temos fé que podemos reverter”, salientou. “A Ponte não tem o que perder. O pior já aconteceu, que era perder em casa. Vamos nos dedicar e se aplicar ao máximo para buscar alguma coisa lá. Quem sabe a gente acaba surpreendendo”, disse.

Aconteça o que acontecer no domingo, no entanto, Aranha pede reconhecimento pela campanha da Ponte, que superou muitos obstáculos antes de alcançar a decisão.

“Avalio a campanha como excelente. Até como torcedor, sei analisar bem o que passa na cabeça do pontepretano. Ele está chateado e tinha uma expectativa muito grande”, comentou. “Mas a Ponte participou do grupo da morte e talvez nem pudesse ter classificado. Passamos, pegamos duas potências e agora estamos enfrentando outra grande equipe. Tenho certeza que tivemos um começo de temporada muito bom, com mais alegrias do que tristezas. Nossa campanha mostra que somos uma equipe muito competente”, finalizou o goleiro.

Preparação

Depois de um trabalho físico na reapresentação, terça-feira, os titulares da Ponte realizaram nesta quarta-feira o primeiro treino com bola na semana. A boa notícia foi a presença do atacante Clayson, que treinou normalmente e não deverá ser problema para o jogo de domingo.

Ainda há uma dúvida em relação às condições de Yago. O zagueiro foi substituído no segundo tempo da primeira partida da decisão com dores no joelho e segue em tratamento intensivo. A única mudança já confirmada na equipe de Gilson Kleina será o retorno do zagueiro Marllon, que cumpriu suspensão no jogo de ida.

Sheik chega e diz que o ‘bicho vai pegar’

Confirmado pelo gerente de futebol Gustavo Bueno na teraç-feira, Emerson Sheik chegou nesta quarta-feira Campinas para realizar exames médicos e assinar com a Ponte Preta. E já de cara mandou um recado para a torcida com seu jeito peculiar.

“E aí, nação pontepretana. Aqui quem está falando é Emerson Sheik. Já cheguei em Campinas para iniciar os trabalhos, fui muito bem recebido. Tô aqui para mandar uma mensagem também, para apoiar o time no próximo domingo, ainda dá. Cheguei, e o bicho vai pegar”, disse pedindo confiança em uma virada na final do Paulista contra o Corinthians, seu ex-clube.

 

A expectativa é que Sheik seja apresentado na semana que vem.

Diretoria da Ponte oficializa acerto com Sheik

Praticamente sem chances de conquistar o Campeonato Paulista depois da derrota sofrida para o Corinthians por 3 a 0, em Campinas, no último domingo, pelo primeiro jogo da final, a Ponte Preta oficializou nesta terça-feira o seu principal reforço para o Campeonato Brasileiro. Trata-se do experiente atacante Emerson Sheik, ex-Corinthians e Flamengo.

Sem clube desde que deixou o time rubro-negro carioca em dezembro do ano passado, Emerson Sheik vinha negociando com a Ponte Preta há dois meses. O atacante de 38 anos é aguardado nesta quarta-feira em Campinas para realizar exames médicos e assinar contrato.

"É um jogador que a gente vinha conversando há dois meses. Ele tinha outras propostas, mas passamos o nosso projeto. Ele viu os jogos contra o Palmeiras e falou que gostaria de vir para cá. O que pesa é que sempre foi vencedor por onde passou, tem perfil de Ponte, se doa e é aguerrido em campo", disse o gerente de futebol Gustavo Bueno em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira, na reapresentação do elenco.

 

Além de Emerson Sheik, a Ponte Preta já está acertada com outros três reforços: os laterais João Lucas (ex-Novorizontino) e Fernandinho (ex-Botafogo-SP), além do meia Xuxa (ex-Mirassol). Outras contratações e algumas saídas estão sendo preparadas, mas serão anunciadas apenas após o segundo jogo da final do Paulistão contra o Corinthians, neste domingo, em São Paulo.

Subscribe to this RSS feed
Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.