Ex-goleiro da Chapecoense ganha prótese em Campinas

Esbanjando descontração e alegria, Jackson Follmann testou pela primeira vez ontem a prótese definitiva da perna direita em uma clínica de Campinas. Há dois meses, Follmann fazia o processo de adaptação do novo equipamento. O ex-goleiro da Chapecoense e embaixador do clube é um dos seis sobreviventes da tragédia aérea, que deixou 71 mortos em novembro de 2016, na Colômbia.

Mesmo com uma parte da perna amputada, perda do movimento do tornozelo esquerdo e algumas fraturas, o jovem de 24 anos segue com a esperança de se recuperar e vencer as dificuldades. A nova tecnologia permite mais mobilidade no equilíbrio e na caminhada de Follmann. Durante os testes no Instituto de Prótese e Órtese, ele até matou a saudade do futebol e arriscou alguns chutes em uma bola, além de uma leve corrida.

Follmann comentou que pretende a voltar a praticar esportes. "Pretendo voltar, mas ainda tem um tempo para a recuperação total do meu tornozelo esquerdo e a prótese tem ajudando muito no processo. Assim que tiver essa melhora, vou poder praticar várias modalidades sem dor" , ressaltou.

Uma das grandes motivações para superar a tragédia e seguir na recuperação foi a comoção das pessoas. "Agradeço muito pela segunda chance que Deus nos deu. Ver todos orando, rezando e torcendo pela nossa melhora no momento que saí do hospital foi fundamental", enfatizou Follmann.

Ele contou que está surgindo novas oportunidades na carreira e descarta, no momento, disputar uma Paralimpíada. "Ainda tem muitas coisas para fazer antes de pensar em uma disputa. A novidade é que assinei um contrato com o canal Fox Sports para ser comentarista de futebol.”

O fisioterapeuta José André Carvalho explicou que o novo pé de Follmann apresenta uma lâmina dupla e uma forma de 'C' que permite mais absorção, amortecimento e mais devolução de energia para o paciente conseguir caminhar lentamente e até correr. Para finalizar 100% a prótese, a parte do encaixe da perna será trocada por uma peça de fibra de carbono. "Ele vai evoluir rapidamente", disse.

O embaixador da Chapecoense aprovou o novo equipamento. "É uma excelente prótese. Não que antes com o outro pé não iria conseguir fazer os movimentos, mas essa tem um amortecimento muito confortável e me ajudará muito no decorrer da minha vida."

 

Jackson Follmann é um dos três atletas que sobreviveram à queda do avião que levava a delegação da Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana. Alan Ruschel e Neto, os outros dois sobreviventes, fazem tratamento para retornar aos gramados.

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.