Log in
A+ A A-

Jovem é detido após ameaças causarem medo em escolas de Pedreira, SP

Rapaz deve ser encaminhado para serviço de saúde após o depoimento na delegacia da cidade.

A Polícia Civil de Pedreira (SP) deteve, no final da manhã desta segunda-feira (27), um rapaz de 26 anos após ele publicar ameaças na página particular do Facebook e causar medo em escolas do município por um suposto ataque. Pais anteciparam a saída dos filhos das aulas em ao menos duas escolas depois das mensagens se espalharem por grupos de Whatsapp. Em uma delas, mesmo os estudantes acostumados a saírem sozinhos só foram liberados na presença dos responsáveis.

O suspeito foi aluno em uma das escolas. As postagens dele citavam ameaças contra os moradores. "Amanhã tem churrasco no país da carne", escreveu o rapaz. Em outra mensagem, do dia 24 de novembro, ele escreveu: "Está chegando "Amigos"... 27/11. Mentir sozinho, eu sou capaz. Brasil, sociedade, cidade-quase-pagã", postou.

A Polícia Civil de Pedreira informou que o caso foi registrado na delegacia do município e está sendo acompanhado pela equipe de investigação da unidade. Policiais civis disseram ao G1 que o suspeito será encaminhado para um serviço de saúde mental.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) destacou que policiais civis foram até a casa do suspeito conversar com ele. "Com sua autorização e da família, realizaram buscas na residência, mas nada de ilícito foi encontrado".

300 alunos

Como as mensagens se espalharam pelos grupos de celular, a unidade do Colégio Objetivo, no bairro Bela Vista, dispensou cerca de 300 alunos dos níveis fundamental e médio nesta manhã. Os estudantes só puderam deixar o prédio acompanhados pelos pais, mesmo que estivessem acostumados a voltar sozinhos para casa.

Os responsáveis ligaram solicitando permissão para retirar os filhos da escola porque receberam uma mensagem no grupo de Whatsapp dos pais da escola.

"A gente ligou para os pais que viessem buscar os alunos porque tem muitos que vão embora sozinhos. Fechamos os portões", disse a diretora do Objetivo, Elisa Vicentin Pintor.

Ainda segundo a diretora, as mães começaram a ligar nas primeiras horas da manhã. "Chegamos na escola e começou. UIa mãe viu no Facebook, ligaram várias mães", completa a diretora.

A escola particular cancelou as aulas da parte da tarde, que ocorreriam para os níveis infantil e fundamental I - do 1º ao 5º anos. As atividades serão retomadas nesta terça (28), informou a unidade.

A escola do suspeito

Uma funcionária da Escola Municipal de Ensino Fundamental Humberto Piva, onde o rapaz investigado estudou há cerca de 15 anos e foi aluno da atual diretora, informou que a maior parte dos alunos do 1º ao 5º anos - cerca de 260 estudantes - foi embora com os pais, apesar de não ocorrer uma orientação oficial para dispensa por parte da diretoria e da Prefeitura.

"O grupo da escola recebeu uma mensagem pelo Whatsapp falando que ele ia entrar na escola, mas ele não citou a escola. Ele fala de lucifer, demônio. Na mensagem ele citava que hoje ia ser o dia. Ia ter churrasco na cidade no dia 27 do onze", afirma a funcionária, que pediu para não ser identificada.

Ela disse ainda que os funcionários da unidade escolar ficaram assustados e avisaram a Polícia Militar e a Guarda Municipal assim que souberam da ameaça.

"Chegar numa segunda-feira de manhã com a notícia de que a escola pode ser invadida é complicado", disse ela.

A Secretaria Municipal de Educação de Pedreira informou que as aulas na rede não foram suspensas. A Secretaria Estadual de Educação informou que as aulas nas unidadesda cidade ocorrem normalmente nesta segunda-feira.

 

Media

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.