Morte de Rubens Ewald Filho comove paulinenses

0

Crítico morreu na quarta-feira (19) aos 74 anos; jornalista foi grande incentivador do Polo e Festival de Cinema da cidade e até colunista do Paulínia News

Causou comoção na cidade o falecimento do jornalista e crítico de cinema Rubens Ewald Filho. Ele morreu na quarta-feira (19) aos 74 anos. Ele foi consultor de projetos do Pólo Cinematográfico e do Festival de Cinema de Paulínia. Chegou até a assumir por um curto período como titular da Secretaria de Cultura local. Também foi colunista de cinema do Paulínia News, O diretor do portal, Luiz Fernando Geraldo lamentou a perda e se solidarizou com os parentes do crítico, lembrando que ele colaborava semanalmente com sua coluna no site, que é o mais antigo em atividade na cidade.

Considerado um dos maiores especialistas em cinema, estava internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Samaritano, em Higienópolis, região Central de São Paulo.

O crítico foi internado em 23 de maio após sofrer um desmaio seguido de uma queda de escada rolante. Ele passou por um tratamento cardiológico e das fraturas decorrentes da queda, mas não resistiu.

Nascido em Santos, Rubens Ewald Filho começou a carreira no jornal “A Tribuna”, na cidade do litoral paulista, em 1967. Ele assistiu a mais de 37 mil filmes. Em mais de 50 anos de carreira, passou por alguns dos maiores veículos de comunicação e emissoras de TV no país.

Além da crítica, escreveu livros como “Dicionário de cineastas”, “Cinema com Rubens Ewald Filho” e “Os 100 Maiores Cineastas”. Rubens escreveu os roteiros de “A árvore dos sexos” (1977) e “Elas são do baralho” (1977), filmes dirigidos por Abreu.