Após contratações, Fisioterapia zera fila de espera para procedimentos urgentes

0

A Unidade de Fisioterapia, do Departamento de Reabilitação Municipal, zerou a fila para pacientes nos procedimentos classificados como “neuro vermelho”, aqueles casos urgentes de pacientes que sofreram AVC (acidente vascular cerebral), têm poli neuropatias ou sofrem com sequelas causadas por traumatismo craniano, por exemplo. Havia uma fila de 19 pessoas, que após a contratação de cinco novos fisioterapeutas e reforma no imóvel, foi agilizada e totalizada em menos de uma semana. Agora os 13 pacientes “neuro amarelo”, deverão ser todos atendidos nos próximos dias.

Os pacientes neurológicos classificados como amarelo são pacientes que já trataram e precisam de sessões de fisioterapia. São considerados com patologia crônica.

Para o supervisor de reabilitação e programas, Luis Fernando Avancini, o trabalho foi otimizado graças às melhorias na estrutura física e, principalmente, depois da contratação de cinco novos profissionais que conseguiram atender a demanda. “Queremos fazer o melhor por Paulínia. Todos estão empenhados e meu lema é sempre trabalho em primeiro lugar. Com dedicação e amor vamos conseguir cada vez mais tratar os paulinenses como eles merecem”, enfatiza. Agora o local tem onze fisioterapeutas e uma terapeuta ocupacional. Os atendimentos giram em torno de 1.500 por mês.

Segundo dados, as 19 pessoas que aguardavam foram chamadas imediatamente, após a entrega da unidade, no dia 10 de junho, depois dos reparos que envolveram resolução de problemas de infiltração, troca de fiação antiga, alvenaria e pintura. Em breve, o espaço, que fica na Rua 9 de Julho, deve receber novos aparelhos, como cama elástica, esteira ergométrica, duas bicicletas e um tablado.

Os que estão na lista verde são os pacientes ortopédicos que sofrem de dores crônicas, mas passam por atendimento regular; os da lista azul já foram avaliados e fazem tratamento com hidroterapia, devido à necessidade de exercícios na água, que reduz os impactos.

“Entendemos que a contratação dos fisioterapeutas foi de extrema necessidade, com o aumento da capacidade de atendimentos, nossa população vai ser mais bem atendida e sofrer menos, porque a Saúde é prioridade na vida do ser humano”, frisa o prefeito Antonio Miguel Ferrari, o Loira. “Saúde é tudo, a pessoa sem saúde não tem nada, nada importa”, reflete. As contratações a que o prefeito se refere foram feitas pelo último processo seletivo da Cismetro.

Ortopedia e respiratório

O sistema de atendimentos para os pacientes da Ortopedia também obedece o mesmo sistema de cores. Atualmente existem cinco com fraturas e passaram por cirurgia recente, que chegaram ao sistema no início de junho e deverão ser atendidos prontamente. Na “ortopedia amarelo” têm 400 pessoas passando por atendimento regular.

Pacientes classificados como “vermelho respiratório” têm prioridade e não existe fila para esses casos.

Todos os atendimentos são encaminhados pelo sistema de saúde municipal e os pacientes precisam comprovar residência em Paulínia.

A Unidade de Fisioterapia ainda é responsável pelo protocolo de pedidos de cadeira de rodas e órteses e próteses. “Trabalho com amor e dedicação para ser lembrado como alguém que fez bem por Paulínia. Nossa cidade é boa, mas precisa ter gente com vontade de trabalhar e resolver os problemas, como estamos fazendo agora”, reforçou Avancini.

Prioridade

Desde que assumiu como prefeito, em janeiro, Loira tem trabalhado para organizar a cidade, e tem como prioridade a Saúde, que ficou prejudicada. Hoje, já conseguiu normalizar a entrega de mais de 80% da cesta de medicamentos, inaugurou duas novas UBS: a primeira no Bom Retiro/ Cooperlotes e a segunda no Jardim América, há duas semanas. Equipamentos novos de ressonância magnética chegaram ao Hospital Municipal de Paulínia agilizando os atendimentos de mais de 400 pessoas que estavam na fila. O Centro Oftalmológico também recebeu aparelhos novos, substituindo antigos, entre outras melhorias.